27/11/2014

OBRIGADO, OBRIGADO


Depois de uma semana com 4 derrotas seguidas, essa semana festiva tem sido boa para os Cavaliers. Conseguimos 2 vitórias seguidas. Tudo bem que uma foi contra o pato morto dos Magics, mas a vitória da última quarta-feira foi de celebrar, pois foi exatamente contra o Wizards, que nos impôs a derrota mais preocupante da semana passada.

Vamos a algumas considerações;

* Após 4 derrotas consecutivas, David Blatt apontou para mudanças na formação titular dos Cavs. Sem dia de treinamento, Blatt disse que postergaria a mudança para a quarta-feira, porque não queria mudar sem treinar. Só que após a vitória acachapante contra os Magics, ficou difícil promover a alteração. E a julgar pelos 26 pontos de vantagem contra o Wizards (113x87), dificilmente veremos algo diferente no sábado, contra os Pacers.

*Detalhe, Mike Miller, um dos mais cotados para ser testado na equipe titular nem foi para quadra hoje. Joe Harris foi limitado a 26 segundos no primeiro tempo. Dion Waiters jogou maioria dos seus minutos contra os Magics no garbage time.

* No jogo da Semana passada contra o Wizards, Cavs teve sua pior pontuação da temporada (78pts), chutou para 36%, distribuiu apenas 13 assistências e cometeu 19 Turnovers. Ontem, Cavs arremessou para 51% de aproveitamento, deu 23 assistências e cometeu apenas 10 Turnovers. Que mudança! Mas afinal, que mudança?


*Claro que ausência do Nenê foi sentida. Love(21), James(29) e Varejão(10, 5/5 FG) combinaram para 60 pontos. Os titulares adversários da posição somaram apenas 30. Mas a mudança de agressividade foi bastante significativa. Só para tentar exemplificar, os Cavs bateram 38 lances livres. 17 só do James. Sobre o James, vi menos oba-oba e mais basquete. Você verá, por exemplo, uma super enterrada no vídeo abaixo e poderá reparar que não teve tchauzinho pra torcida, bíceps à mostra, nem pose para câmeras, mas a corrida de volta à defesa, com toda concentração necessária. 

*Entre os baixinhos, ninguém se destacou. Destaque mesmo vai para declaração do John Wall de que ele, Irving e Rose seriam sempre rivais. Escolhas número 1 do Draft, Disse que seria uma longa batalha entre eles, desde que todos joguem e se mantenham saudáveis. A rivalidade é grande mesmo. Apesar de Wall já ter levado seu time aos playoffs, Irving fez o adversário ficar de cara com o muro na seleção americana, para o campeonato mundial, quando Kyrie foi titular da equipe. Irving já foi titular do All Star Game também, sendo eleito MVP nas ocasiões citadas. No jogo de ontem, Wall anotou apenas 6 pts (apenas 3 FG). Irving que também estava discreto na pontuação, converteu algumas bolas no final para finalizar a partida com 18 pts e 5 assistências.

* Beal anotou apenas 10 pontos. Já Waiters ficou com 15, mas ainda 6-17 e alguns arremessos de dar raiva a qualquer cristão. Porém Blatt o defendeu na coletiva de imprensa, dizendo que quase todos os arremessos foram necessários e como ele é um pontuador, sua função saindo do banco é tentar a ce sta mesmo. 

Veja lances da partida:



Cavs só joga agora no sábado, contra os Pacers. Mais um jogo na Q-Arena, diante da torcida fanática de Cleveland.

Por hoje, basta desejar a todos um excelente dia de ações de graça!
Sejam felizes com seus familiares e não deixem de ser gratos a Deus por tudo que vocês conseguiram em mais um ano. Temos muito mais do que precisamos. Vamos parar de murmurar e ser um pouco mais agradecidos. 
Isso serve para nosso time dos Cavs (lembre de anos anteriores), isso serve para a vida!

Até mais, pessoas!

23/11/2014

EMPOLGAÇÃO E QUEDA


Mais uma derrota em casa e dessa vez contra um rival de conferencia que é candidato a título. A vida do "novo Cavs" não está nada fácil nessa temporada.



Após a derrota para os Wizards, muitos torcedores estavam temendo o jogo de hoje, não é por menos, vimos um time limitado na última partida contra um dos times que brigarão pelas primeiras posições nos Playoffs e o Raptors vem fazendo um início de temporada impecável e liderando a conferência. 

O time do Cavs teve um início avassalador. Chegou a abrir 20 a 5 nos primeiros minutos com um aproveitamento acima dos 70% no começo da partida, Varejão e Lebron fazendo jogadas que levantaram a torcida na Q-Arena, Kevin Love acertando arremessos que não estavam caindo nas últimas partidas e Irving matando belas bolas também, mas tudo isso não passou de 7, 8 minutos de empolgação. 

Com a entrada de alguns jogadores do banco, o time começou a cair de ritmo claramente, Waiters acertou 2 bolas seguidas, mas não acrescentou em nada mais para o time. Miller, Thompson e Harris tiveram mais uma partida para se esquecer, com erros terríveis e mostrando o quanto nosso banco é limitado. Do outro lado, o Raptors encaixou a marcação e com uma atuação fora do normal de Lou Willians virou o jogo com um chute de 3 certeiro no estouro do cronometro.

O segundo tempo até começou equilibrado, mas como no primeiro tempo o Cavs não conseguiu manter o jogo equilibrado. Com a marcação confusa e com um ataque muito individualizado, o time foi deixando o Raptors abrir e no fim do 3º quarto o jogo já estava decidido em favor dos Canadenses.

Está claro que a rotação não está funcionando, está claro que a defesa do time tem que melhorar muito, está claro que o time tem limitações no ataque e em várias oportunidades a "jogada" acaba sendo o 1 on 1 sem um mísero corta luz para ajudar no chute. São muitos detalhes que mostram o quanto esse time tem que melhorar e que o nosso treinador David Blatt vai ter muitos pepinos pra descascar durante essa temporada.




Destaques do jogo:

CAVS: Lances Livres: 20-29 (69%), 24 assistências, 18 Turnovers e 46 rebotes.

RAPTORS: Lances Livres: 38-42 (90%), 20 assistências, 8 Turnovers e 34 rebotes.

Cleveland Cavaliers: 

Kevin Love: 23 pontos e 7 rebotes.
Kyrie Irving: 21 pontos e 6 assistências.
Lebron James: 15 pontos e 10 assistências.
Anderson Varejão: 13 pontos e 12 rebotes.

Toronto Raptors:

Lou Willians: 36 pontos (Recorde na carreira).
Kyle Lowry: 23 pontos e 8 assistências.
Demar DeRozan: 20 pontos.

Mais um golpe duro para essa torcida que sofreu muito nos últimos anos com times ruins e resultados fracos. Agora com um time no papel muito bom, temos pressa em ter resultados, assim como James disse nas ultimas entrevistas.
Até quando a torcida terá paciência com os jogadores e com o treinador? Eis a questão.

22/11/2014

NO ESCURO


Mais uma derrota dos Cavs. Mais uma vez os Cavs ficam com recorde negativo na temporada (5-6). O time foi dominado do início ao fim. E faço questão de tecer alguns comentários agora mesmo, ainda no calor da emoção da partida. 
Eu falei emoção? Esquece.

*Lebron James não está feliz em Cleveland. E sua impaciência e sua frustração estão muito evidentes. Andou em quadra por várias vezes na noite passada. Além disso não raro era possível ver o astro com as duas mãos na cintura na defesa, enquanto a bola era movimentada. Mais cedo disse que seu maior desafio seria entender e ter paciência para suportar o processo de formação de um time vencedor. Parece estar chegando no limite. 

*O garrafão dos Cavs está sendo massacrado na defesa. Se é bem verdade que Varejão, Thompson e Love não formam o grupo mais atlético ou capaz de proteger o aro, também é verdade que não precisava passar tanta vergonha. O time é o pior da liga na defesa próximo ao aro. Love é um dos maiores responsáveis, mas não o único. Blatt vai precisar repensar a rotação para o garrafão, inclusive, para nós, Poderia testar mais minutos do Varejão com o Thompson juntos em quadra.  Verdade é que Love transformou o Kevin Serafim em all-star na última partida. 


*Cavs começou a partida contra Wizards como 5th melhor  ataque da liga, com 105.0 pts por jogo, mas foi reduzido a 78 pts contra o time da capital americana, caindo para 10th no quesito. Pior atuação ofensiva desde que James retornou a liga. 36% nos FG e 22.2 nos 3-ptsFG foi um desempenho bizarro para um ataque desorganizado, egoísta e confuso. Para exemplificar, o time deu apenas 13 assistências.

* Foi um time nervoso com a bola na mão. Impaciente, sempre que se viu atrás do placar, bateu insistentemente a bola, ficou plantado e contou com o individualismo. Parecia um time amador ou sem liderança. Nas palavras de Blatt, o time todo foi uma confusão: "Estou preocupado com tudo no momento. Este é o mesmo time que semana passada estava fazendo 120 pts. Estamos jogando como se estivéssemos no escuro".

*Love está sendo um jogador medíocre com os Cavs. Evidentemente todo mundo esperava que seu números diminuíssem por dividir um time com Irving e Lebron. Cavs precisa envolver mais o jogador no seu ataque, sem dúvidas. Como All-Star, poderia ser uma opção ofensiva planejada, não apenas uma bola ocasional. Porém Love não colabora com jogadas bizarras e perdas de bola. 4 TO ontem. 

*Tudo deu tão errado ontem que até Harris, novato sensação ficou zerado no jogo e foi muito mal. O banco dos Cavs, por sinal, passou  todo o primeiro tempo em branco. No fim foram apenas 9 pts de contribuição. Péssimo. Juro que gostaria de ver os minutos do Shawn Marion reduzidos. 

*Nós podemos entender o momento de transição, os ajustes ao jogo dos companheiros, ao sistema ofensivo e defensivo de um novo treinador. O que nós não podemos entender nem perdoar de maneira alguma é a preguiça. Time molenga na NBA, ganhando milhões de dólares, no melhor basquete do mundo e ao lado de 3 dos mais tops da liga é incompreensível, inaceitável, imperdoável.

Apesar de tudo, saibamos que é muito cedo. Com alguns pequenos ajustes este time pode deslanchar e se tornar o contender que todo muito previa antes do início da temporada. 
Entretanto, enfrentar o Toronto hoje pode não ser o desafio ideal para o momento.
Vamos esperar!!
Believeland??

21/11/2014

FALANDO NISSO

Passados 10 jogos dos Cavs na temporada, o time ainda não emplacou como um super time do Leste. Com 5 vitórias e o mesmo número de derrotas, muitos já tentam escolher culpados pelo fracasso. E como tudo com Lebron James ganha uma repercussão absurda, podemos dizer que boa tarde dos amantes da NBA estão falando sobre nosso time. Vamos a algumas considerações rápidas:

* Perder por 2 pontos contra os Spurs é algo normal, mesmo em casa. James declarou não estar preocupado e que gostou da evolução do time. Para quem tinha falado algumas coisas difíceis nas últimas entrevistas é bem animador. E de fato ele deve estar se referido aos avanços na defesa, que apesar de ainda sofrer no garrafão, mostrou que caminha para um acerto mais próximo do ajustável.

*David Blatt por sinal disse que este foi o melhor jogo do Irving defensivamente, limitando Tony Parker a 2-7 FG e apenas 8 pontos. Ninguém contudo falou nada dos 4-5 e 10 pts. do Cory Joseph.

*Ofensivamente o time tem lampejos de brilhantismo, movimentando bem a bola até o momento oportuno para a cesta. Mas contra uma defesa como a dos Spurs, o time não cuidou muito bem da bola. 18 Turnovers custaram caro.

*Quem começou errando muito, mas depois virou a página para uma noite memorável foi o brasileiro Anderson Varejão. Com 23 pts e 11 rebotes, Vareja foi o cestinha dos Cavs na noite. E fez um belo trabalho no mano a mano com Duncan do 2Q em diante. Mas deu um passe no final para James que gerou uma perda de posse de bola importantíssima. 

* Vendo Varejão brilhar no ataque muitos perguntam 'E o Love?' Loe continua procurando seu espaço. Pouco envolvido na partida até o intervalo, só foi ser ofensivo no 3Q, quando os Cavs forçaram a bola nele. Ele foi para cima do Diaw e conseguiu alguma vantagem. Mas Love continua sendo uma no ferro e uma na ferradura. Problema maior foi quando o Spurs resolveu explorar o Diaw para cima do Love. Pivô francês passou por cima do rapaz do amor, comendo ele com farinha (e ketchup). Diaw fez 8-14 no jogo, Love 4-12. 

* Cleveland precisa aprender a usar o Love melhor no esquema ofensivo. E tentar deixar sempre ele em quadra na ausência de Lebron, quando o pivô pode fazer mais seu jogo. 

*Por sinal, Blatt resolveu dar menos minutos para Lebron na partida passada. Mas B;att continua procurando a rotação ideal do elenco. Harris ficou em quadra no 4Q, nada de Waiters ou Marion como SG. Mas garoto não descansou 1s do último período. E Blatt descansou as 3 estrelas ao mesmo tempo no final do 2Q. Levamos 8 pts seguidos e perdemos uma vantagem de 11. 

*Blatt tem sido criticado pelo trabalho em Cleveland. Reclamaram por ele não ter poupado um timeout para o final da partida. Reclamam da defesa, da campanha. Mas precisamos ter paciência. O time está em aprendizado. treinador também. Quando James chegou a Miami a situação foi bastante semelhante. Deu certo por lá, vamos torcer por dar certo aqui também.

*Próxima partida será hoje contra o time da capital americana. Time de muita rivalidade antiga, que foi reacendida na intertemporada. Lembra que Beal disse que considerava ele e Wall o melhor backcourt jovem da NBA e o Waiters respondeu pelo Twitter (Volta, Dion ao twitter!) dizendo que não fazia sentido, que junto com o Irving eles eram melhores. Wall não deixou barato à época e disse que para Dion formar uma dupla melhor com Irving eles precisariam jogar um jogo de playoffs e mais, Dion teria que ser titular. 

*Pois muita gente marcou a data de hoje como um dos jogos mais esperados depois do ocorrido. E como Beal voltou de contusão, deverá ser um jogo cheio de rivalidade. Vejamos qual será o comportamento desses jogadores em quadra!

*E Bingo!!!! Mais uma vez a ESPN transmitirá o jogo dos Cavs. Até lá!

19/11/2014

VIVENDO, JOGANDO, PERDENDO E APRENDENDO


A derrota da última segunda-feira para o Denver, jogando na Q-Arena, foi uma pedra necessária no meio do caminho dos Cavs. Após vencer quatro partidas seguidas na liga, enfrentar um dos últimos colocados do Oeste, time que já tínhamos vencido fora de casa, parecia ideal para iniciar uma série de jogos perto dos torcedores. Mas se revelou em mais uma lição para o time aprender.

Valem algumas considerações rápidas:
* Essa é maior liga de basquete do mundo. O esporte é desenvolvido lá no mais alto nível. Nunca se pode ignorar isso. Não se pode imaginar que você vai vencer uma partida na hora que quiser e de qualquer forma. É preciso jogar de forma responsável e no mais alto nível de competitividade. Não há espaço para subestimar adversários. Lebron James deixou claro que faltou comprometimento da equipe: "Ficamos acomodados após a sequência de 4 vitórias".

* Cleveland teve 4 jogadores com 20+ pontos. James, 22, Irving, Love e Waiters, 20. Mas não se ganha na NBA apenas com ataque e sem respeitar o plano de jogo ofensivo e defensivo. Basquete não se trata apenas de usar seu talento contra um time inteiro o tempo todo. Resultado disso foram apenas 18 assistências, para um time que moveu mal a bola. E um jogo para menos de 100 pontos, mesmo contra uma das piores defesas da liga.

* Cleveland tem 4 de seus importantes jogadores que nunca jogaram em uma franquia vencedora. Irving, Waiters, Thompson e Love nunca foram aos playoffs. Precisam aprender as lições necessárias de um time vencedor. James tem muito a ajudar com isso e tem sido uma voz constante dentro e fora das quadras. Conectar o discurso dele com o do treinador vai ser uma jornada interessante de examinar. Dura missão para o treinador novato.

*Lebron James jogou adoentado a partida desta segunda. Apesar disso, ficou em quadra por 40 minutos. Por vezes, foi batido na defesa. James, Irving e Love estão entre os cinco jogadores da NBA que mais tempo ficaram em quadra até agora. "Isto tem que diminuir" afirmou James, após o treino de hoje. "Obviamente é muito difícil neste momento. Nós estamos nos encaixando, tentando encontrar nosso ritmo. Estamos tentando achar algo que você realmente não pode, não vai querer pular etapas. Mas ao mesmo tempo você precisa ser esperto sobre isto."

* Blatt não está muito acostumado em um campeonato que tenha que usar tanto o banco de reservas. Vai precisar se adaptar. Disse que não via problema com os muitos minutos da sua principal estrela, após a partida contra Atlanta, mas depois das palavras de James, algo mudará. Vai precisar implantar mais rapidamente sua filosofia ao time, uma filosofia vencedora, que compartilhe a bola e defenda com intensidade. Vencer é necessário para aumentar a rotação da equipe. 

Próximo jogo dos Cavs é nesta quarta contra o forte time dos Spurs. Um duelo contra o atual campeão, que já joga não apenas em função das estrelas, mas sob um modelo de jogo fantástico, uma mentalidade que tem sido construída nos últimos 15 anos. Fique ligado, a partida será transmitida pela ESPN.
Se quiser saber mais sobre as transmissões da TV dos jogos dos Cavs, CLIQUE AQUI.

PS: Alguns jogadores estiveram presentes no Jantar de Ações de graças fornecido pela franquia às pessoas envolvidas a um projeto social sobre educação. Dia de Ações de Graça é um dos principais feriados americanos. (Se a gente copia coisas trash como Dia das bruxas, bem como poderíamos adotar comemorar esta data).  


16/11/2014

UMA NOITE PARA A HISTÓRIA


Uma noite de sonho!!! Assim foi a noite de 15/11/2014 para a franquia Cleveland Cavaliers.
O jogo era contra um adversário que vinha de 4 vitórias consecutivas. Mas os Hawks não viram a cor da bola. 127-94

Um jogo para ficar na história!!! Literalmente. Cleveland começou o jogo acertando 9 bolas de 3 pontos no primeiro quarto. 9-9 do perímetro em um único quarto é recorde na NBA. James foi arrasador anotando 11 pontos nos primeiros 4 minutos. Love desta vez começou ligado na partida e junto com Lebron comandou as ações ofensivas da equipe.

A sequência de bolas de longa distância seguiu. Cleveland chegou a 11-11 nos 3-pts. Incrível. Até o intervalo, Cleveland derrubou 13 bolas de 3-pts no total, empatando o recorde da NBA em uma metade de jogo. Até o fim do jogo foram 19 cestas de 3-pts (19-31, 61,3%) chegando ao recorde da franquia. Curioso que até este jogo o Atlanta de Kyle Korver liderava a liga em porcentagem nesse quesito.

Cleveland começou a desgarrar no placar quando Dion Waiters e Joe Harris entraram em quadra. Harris entrou na rotação no lugar de Miller e nos 4:44 segundos que ficou em quadra no 1Q, viu o placar sair de 21-19 para 41-25. Desde a sua entrada em quadra, ele foi aplaudido por causa do desempenho do novato na última sexta. A partid d hoje mereceu mais aplausos. O rookie encestou duas bolas de 3 pts, inclusive uma vencendo a sirene para fazer o time fechar o quarto com 41 pontos.

A vantagem só foi aumentando. E os Cavs chamaram atenção dos amantes do basquete para o potencial arrasador que este time pode desenvolver. A movimentação ofensiva foi fantástica e a bola foi muito bem movimentada. Resultado; fomos ao intervalo vencendo por 71 x 43.

Evidentemente o terceiro quarto começou lento, mas após um pedido de tempo de Blatt o time deslanchou novamente. Mantendo James, Love, Irving em quadra boa parte do quarto, Blatt permitiu deixar o período final apenas para os reservas. Por sinal, todos os jogadores relacionados entraram em quadra e apenas Mike Miller, que jogou apenas 2:23 não pontuou. Ou seja, 12 dos 13 relacionados pontuaram na partida.

Lebron James anotou 32 pontos, 6 rebotes e 7 assistências. Love fez 13 pontos, pegou 6 rebotes e deu 5 assistências. Kyrie Irving conseguiu 20 pontos, deu 5 assistências e chegou ao segundo jogo sem cometer Turnovers, isso em partidas em noites seguidas. Varejão anotou apenas 1 cesta (2pts), mas voltou a chegar a uma dezena de rebotes. Waiters saiu de quadra com plus/minus de +45.

O time realizou 39 assistências no jogo (para 49 cestas), melhor número da temporada. Cinco jogadores chegaram a 5 ou mais assistências (James, Varejão, Irving, Waiters e Love). A última vez que isso tinha acontecido para o time foi em janeiro de 1997. Waiters liderou a noite com 8.

Cleveland chegou a quarta vitória seguida, provavelmente a mais fácil da temporada, deu show para a torcida e trouxe de volta a esperança à Cleveland. E a sequência pode aumentar. Próximo jogo é segunda contra o Denver Nuggets.
Vitória fácil??

Reveja a sequência histórica de bolas de 3-pontos dos Cavs



E um pouco do show de Lebron James e da equipe. Detalhe no toco aos 3:23


15/11/2014

VIRADA EM BOSTON


Com dores de parto e quase suando sangue, Cleveland vence mais uma partida na temporada. 122-121. O placar já mostra quão dramático foi o final da partida. 
Vamos para algumas considerações rápidas (Possíveis a um pai de recém nascido):

O jogo começou bastante equilibrado na primeira etapa. Nos doi primeiros quartos, os Celtics se movimentaram bem no ataque, e o garrafão dos Cavs não conseguiu segurar o jovem Olynik que pontuou d perto e de longe da cesta. 

Lebron James dominou as ações ofensivas de nossa equipe na primeira etapa, anotando 22 pontos na primeira etapa. Dion Waiters, que retornou de contusão nas costas, veio bem do banco, com bom aproveitamento e mais 10 pontos. Varejão mais uma vez começou agressivo e também anotou mais uma dezena de pontos. Irving parecia disputar com Rondo, sendo discreto na pontuação (4pts), mas distribuindo bem a bola (4 ast). Fomos ao intervalo com placar empatado em 59. 

No terceiro quarto, o equilíbrio permanecia. Até que restando 5 minutos e meio, treinador Blatt coloca Waiters em quadra, no lugar de Irving. Time perdia por 80-76. Menos de 2 minutos depois entra Mike Miller. Resultado, terminamos perdendo o quarto por 17 pontos. 84-101. 

Cleveland levou 42 pontos do renovado Boston Celtics em apenas um quarto da partida. A defesa do time foi horrível e definitivamente Love, Miller e Waiters juntos ao mesmo temo em quadra não é um bom negócio. 

Jogo parecia definido em favor do time da casa, que logo jogou a vantagem para 19 pontos. Mas Kyrie Irving se recusou a entregar os pontos e anotou 12 pontos seguidos nos 3 primeiros minutos do último quarto. Com direito a três bolas de longa distância. Kyrie comandou ofensivamente o início da virada. Lebron James terminou o serviço. 10 pts pra James no 4Q, 15 pts pra Irving, Mr 4Q.

Mas que me perdoem as estrelas, que de fato brilharam, fizeram seu serviço e garantiram seus nomes nas manchetes dos jornais. Mas essa vitória tem um nome para ser celebrado. JOE HARRIS. O novato de Cleveland, entrou no 4Q, quando a vaca já estava deitando, e mais uma vez foi responsável por estabilizar a defesa dos Cavaliers. Há quem despreze algumas estatísticas da NBA, principalmente o plus/minus, mas em alguns momentos elas podem indicar alguma coisa. Joe Harris terminou o jogo com +24, em 19 minutos. Isso quer dizer que nos 19 minutos em que esteve em quadra, os Cavs saíram com saldo positivo de 24 pontos realizados contra os pontos sofridos. Isso é bastante significativo.

Além de defender bem, ele não compromete a movimentação ofensiva. Pelo contrário, abre espaço para Irving e James e ainda conseguiu anotar sua bola de três pontos e cavar uma falta para três lances livres, que converteu. Claro que alguns erros de novato vão acontecer, mas é bom você considerar ele na rotação depois das duas viradas em que sua participação defensiva foi destaque.


Blatt, apesar de alguns erros, merece o crédito de deixar o garoto em quadra num time de estrelas. Além de colocar Thompson e Varejão juntos em alguns momentos, bem como tirar o Love na bola final da partida em que os Celtics tinham o arremesso para a vitória com 7 segundos no relógio. Em duas situações anteriores, Boston tinha pedido Timeout e a jogada de ataque armada foi para definição em cima do Love e as duas bolas foram convertidas. No fim do jogo, Blatt sacou Love e colocou Thompson para acabar com a farra. 

Mais um jogo de mais de 40 minutos para Lebron James. E outra atuação brilhante nos momentos decisivos. 41 pontos e 7 assistências. Kyrie Irving anotou outros 27 pontos e 5 assistências enão cometeu nenhum turnover. Kevin Love conseguiu um double-double com 12 pontos e 15 rebotes, mas continua com aproveitamento ruim. Brasileiro Anderson Varejão contribuiu com 16 pontos, mas apenas 2 rebotes. 

Sete jogadores dos Celtics conseguiram 10+ pontos. Rondon distribuiu 16 assistências. E perdeu o controle de bola no fim, ficando sem temo para o arremesso final. Por sinal, Rondo nunca conseguiu vencer a sirene para dar a vitória ao time na carreira. 

Cleveland alcança uma campanha positiva (4-3). E tem agora uma sequência em Ohio de 8 dos próximos 9 jogos. Começando hoje contra o Atlanta. Mas o principal jogo da sequência é contra os Spurs, atual campeão, com transmissão da ESPN, na quarta-feira.

Cavs enviou Alex Kirk para Canton Charge. 

14/11/2014

ROUPA DE NATAL

Como é tradição, a NBA usará, nos jogos de Natal, uniformes exclusivos para a partida natalina.
Como desta vez os Cavs estará na festa, teremos também um uniforme especial.

Hoje a liga e a Adidas divulgaram prévias das camisas dos times envolvidos. 
Além de um logo na frente, outra novidade é o uso apenas do primeiro nome dos jogadores atrás. 
Assim, os Cavs devem entrar em quadra com Kyrie, Lebron, Shawn, Kevin e Anderson estampados nas camisas do time titular. 





Vejam modelos de outros times:



Podem falar mal à vontade, mas pelos menos o uniforme não tem aquelas mangas desastrosas.
Lembra do ano passado??



Gostaram do modelo 2014???

11/11/2014

BIG-3 DECISIVO


Grande vitória dos Cavs ontem sobre o Pelicans. Foi uma virada de jogo com uma bela demonstração do poderio ofensivo do time. 118 x 111, com muitos destaques.
O time passou o primeiro tempo de jogo atrás do placar, cerca de 6 a 10 pontos atrás, cedendo muitas, muitas (eu disse muitas, mesmo) bolas de longa distância e com dificuldades de parar Anthony Davis no garrafão. Ryan Anderson conseguiu anotar 23 pontos em 15 minutos na primeira etapa, com 5 bolas de 3 pontos. Uma deficiência defensiva impressionante.

A sorte do jogo só mudou a partir de terceiro quarto e, antes mesmo de falar do nosso time, destaco aqui a colaboração do treinador adversário, que deixou Anderson no banco de reservas até os 3:55 do 3Q. Contando com os 15 minutos do intervalo, jogador voltou um tanto quanto fora de ritmo e deixou de destruir a nossa equipe como fez antes. 

Mas falando dos Cavs, vimos pela primeira vez o Big-3 realmente funcionar. Love, Irving e James combinaram para 86 pontos, 22 rebotes e 21 assistências. Isso foram mais pontos que toda equipe dos Clippers ontem contra o time dos Spurs. Não foram poucos os jogos do Cavs no ano passado que o próprio Cavs não chegou a esta marca.

Lebron James liderou a virada. Ele sentiu o momento e percebeu a necessidade de se destacar. Anotou os 9 primeiros pontos do segundo tempo.  Kyrie Irving, que estava 4-11 no jogo, foi na crista da onda e seguiu o líder assumindo o ataque do time junto com James. Ambos fizeram 30 dos 34 pontos do time no terceiro quarto. Impressionante. 

Kyrie terminou o jogo 11 de 21. Aproveitamento fantástico nos últimos dois quartos. Lebron alcançou um Triple-Double, com 32 pontos, 12 rebotes e 10 assistências. É o primeiro TD do James no retorno ao Cavs. É apenas o segundo TD dos Cavs nos últimos 4 anos. James tinha passado a temporada passada inteira sem nenhum, mas fez ontem o 38º da carreira. Vamos combinar que houve uma certa colaboração das estatísticas, em relação a pelo menos a última assistência. *** Mas foi uma atuação fantástica de James, para calar os críticos. com direito a duas enterradas pesadas, bem ao estilo...Lebron James.




E quando James foi descansar no início do terceiro quarto, Kevin Love, que estava apagado no jogo, brilhou com 3 bolas de três pontos mantendo a vantagem dos Cavs. Love conseguiu 22 pontos e, como Irving e James, manteve mais de 50% de aproveitamento. 

Por fim, vale destacar os coadjuvantes. Marion foi a alternativa de Blatt para parar Anderson. Brasileiro Anderson Varejão começou muito bem a partida, indo para cesta e destacando-se, mas sofreu para parar Davis. No fim, jogou 21 minutos e terminou com 12 pontos e 5 rebotes.  

Mas o destaque maior para mim vai para o novato Joe Harris. Como Dion Waiters ficou de fora da partida com dores nas costas pela falta flagrante de Arthur, no jogo em Denver, e Dellavedova continua lesionado, Harris teve alguns minutos a mais em quadra. Principalmente pela disposição defensiva, maior do que a de Miller. Em 20 minutos em quadra, ele alcançou +/- de +18 (contra -12 de Miller). Rodando bem a bola e metendo uma bola de longa distância, parece ter sido uma escolha de draft acertada e que vai contribuir com a equipe. 

Blatt ficou feliz com o desempenho dos jogadores, mas continuou manifestando preocupação com a defesa da equipe. De fato, Cleveland levou algumas cestas bem fáceis, falhou em defender o perímetro e o garrafão e teve falhas infantis na transição defensiva de fazer qualquer treinador exigente infartar. Nada passou despercebido pelos olhos de Blatt. 

Próximo jogo dos Cavs é apenas na sexta-feira, em Boston. Cleveland vai ter uma sequência de 8 dos próximos 10 jogos na Q-Arena diante de sua torcida. Chance de tornar a campanha positiva. 
Go, Cavs!


** Atualização: A NBA no processo de revisão retirou o Triple-Double de Lebron James. Ao rever a partida, o jogador terminou com um rebote e uma assistência a menos na partida. Sendo assim, James terminou o jogo com 32 pontos, 11 rebotes e 9 assistências.

09/11/2014

SEXTO HOMEM, QUINTO ANO


A última vitória dos Cavs, diante do time de Denver, apresentou um personagem importante. É certo que pelo menos 7 jogadores anotaram 10 pontos ou mais, que Lebron anotou 22 pontos e 11 assistências e que o brasileiro Varejão anotou 15 pontos. em 27 minutos. Mas o destaque do jogo seria claramente o jogo coletivo. Afinal, Cleveland desta vez anotou 25 assistências e moveu muito bem a bola, além de defender com muito mais intensidade. Que continue assim. Nas duas vitórias da equipe, a média de assistências foi de 21.5. Nas derrotas, a média foi de apenas 15.3 assistências.

Porém um jogador conseguiu chamar a atenção o final de semana inteiro: Dion Waiters. Ele foi movido ao banco para retornar ao seu papel de sexto homem, perdendo a vaga no time titular para Shawn Marion desde a contusão de Dellavedova. (Por sinal, Delly ficará de 4 a 6 semanas fora das quadras). Dion Waiters anotou 17 pontos e conseguiu 2 roubos de bola.
Sua atuação agradou o treinador Blatt e fez Lebron repensar em como queria ver Diona atuando na equipe, aceitando agora que talvez Waiters como sexto homem seja uma idéia aceitável.

Waiters está sob os holofotes desde que perdeu a execução do hino na quarta-feira e, segundo alguns, teria invocado o aspecto religioso para isto. Num pais tão patriota como os EUA nem precisa dizer como isso repercutiu mal, principalmente envolvendo a religião muçulmana.

Dion Waiters nega. Disse que foi um grande mal entendido, que realizou sua rotina normal antes dos jogos e que acabou perdendo a hora. Repetiu que ama os Estados Unidos e que prefere seu país a qualquer outro local do mundo. Mas ontem na coletiva não explicou direito quando o repórter insistiu que ele teria dito "É minha religião" ao explicar o evento da quarta. Dion ficou sem palavras e voltou ao basquete. Mas a insistência dos repórteres fez ainda que Waiters explicasse toda a sua rotina pré-jogo, e que novamente expressasse seu lado patriota e seu amor pela terra do Tio Sam.

Dion foi esperto de não criar problemas com este aspecto do hino, e deixando o lado religioso de lado, a despeito da besteira que ele deve ter dito na sexta feira. É de bom tom não misturar as coisas.

Voltando ao basquete, o papel de sexto homem foi principal aspecto. Aparentemente Blatt vai querer sim explorar o jogador na função. E você que não é modinha e já acompanha  time há algum tempo, sabe como o Waiters já reclamou disso no passado, inclusive criando polêmicas pelo Twitter. Apesar das besteiras do passado, nas palavras, Waiters parece ter aceitado bem o papel. Grande jogo na sexta, como já falamos, e agora a afirmação de que não tem problema com seu novo papel, que pensou direitinho e que pode ser melhor pra ele e para o time além de permitir que sua agressividade aflore.
Parece ser o destino do Waiters. Foi assim na faculdade, foi assim nos anos anteriores com os Cavs. Ano passado ele ainda começou como titular, mas em menos de 10 partidas já tinha sido movido para o banco. Nesta temporada, a situação mudou ainda mais rápido.
Este ano porém a mentalidade agora parece ter melhorado. Ele já demonstrou que faz o papel que for necessário:

Detalhe que pode ser sinal de mudanças, Waiters afirmou que excluiu seu aplicativo do Twitter do celular. 
Ganha a família dele, ganha o time (?), bom para o jogador. Perdemos todos nós que nos divertíamos com o jogador dos Cavs que mais faz uso da ferramenta. 


05/11/2014

CAVS CAI EM PORTLAND


Não está sendo o começo de temporada que todos os fãs sonhavam, nos 3 primeiros jogos que vimos o Cavs se mostrou um time com muitas deficiências a serem corrigidas e essa temporada deverá ser de adaptação, aprendizado e experiência não só para os jogadores, mas também para David Blatt.


O JOGO


Começo de jogo foi alucinante em Portland com os 2 times acertando praticamente TUDO, o Cavs iniciou a partida com 9 acertos em 9 tentativas inclusive uma linda bola de 3 pontos do Lebron do meio da rua no estouro do cronometro de posse de bola, já o Blazers acertou 9 em 13 arremessos, foram 6 minutos lindos de ver para quem é fã de bons ataques e jogadas lindas, agora se você como EU curte também uma defesa forte e que não dá espaços para o adversário, bom, não foi o caso!


Cavs iniciou arrasador 9-9 nos chutes de quadra.


Após o inicio arrasador das 2 equipes os times esfriaram e foram trocando cestas, de um lado James e Love faziam suas cestas enquanto do outro, Robin Lopez, isso mesmo Robin Lopez e Aldridge faziam a festa no nosso garrafão, após um 1º quarto muito movimentado, com uma bola do Dellavedova no estouro do cronometro terminamos em vantagem, 35 a 30.

Segundo quarto começou com uma sequencia de bolas do Blazers para empatar o jogo com Irving, Love e Lebron no banco o Blazers aproveitou o ataque previsível do Cavs muito centralizado nos chutes do Tristan Thompson para abrir uma pequena vantagem, logo David Blatt colocou o trio de volta em quadra para amenizar o prejuízo. Mesmo com a volta dos titulares o Blazers aproveitou um Damian Lillard inspirado no 2º quarto e erros de ataque por parte do Cavs para ir para o intervalo em vantagem, 55 a 50.

Terceiro quarto começou com o Blazers aproveitando o seu jogo de garrafão, Lopez que fazia uma boa partida ofensiva e Aldridge bombardeavam a defesa do Cavs de todos os lados do garrafão, enquanto no ataque o time do Cavs continuava previsível e errando arremessos forçados, com isso o Blazers abriu ainda mais e com 7 minutos para o fim do quarto a vantagem já estava em 13 pontos.

Após pedido de tempo Kevin Love tratou de colocar o time de volta no jogo e com 2 bolas seguidas de 3 e 2 lances livres a vantagem caiu para 8 pontos, alem dele, Thompson que vinha em uma partida fraca deu 2 belas cravadas mas nada que pudesse impedir com que o Blazers fosse para o ultimo quarto na frente, 76 a 69.


Kevin Love foi o destaque do Cavs com 22 pontos e 10 rebotes na partida


Ultimo quarto só temos a lamentar, jogadas equivocadas, defesa ainda mais passível ao jogo de garrafão do Blazers e o que pudemos ver foi um time perdido em quadra, natural pelas mudanças feitas na temporada, mas que mostra o quanto David Blatt vai ter que trabalhar para corrigir os erros tanto de posicionamento como de mentalidade com a bola na mão.
Irving chutando bolas sem espaço, pouca movimentação de bola e até mesmo Love que vinha bem no ataque acabou tendo poucas chances de brilhar no final.



O Blazers apesar de ter perdido 2 partidas nesse inicio de temporada mostrou ter um time bem entrosado e que conhecia os pontos fracos do Cavs, algo que ficou muito claro com a atuação de Aldridge e Lopez no garrafão, Wesley Matthews e Damian Lillard fizeram a diferença no perímetro ofensivo e na defesa mataram as jogadas individuais de Waiters e Irving.

Uma derrota fora de casa contra um grande time do Oeste, com um time em construção, não pode ser levado como o fim do mundo, mas também não podemos deixar de destacar as muitas falhas apresentadas pela equipe, não só nessa partida mas sim em todas as 3 realizadas até aqui. Ficamos aqui na torcida para que David Blatt consiga corrigir esses erros durante a temporada e que tenhamos uma evolução principalmente na 2ª metada do campeonato.






Destaques da partida:


Cleveland Cavaliers: 36.5% de acertos  

Kevin Love: 22 pontos e 10 rebotes.
Lebron James: 11 pontos, 7 rebotes e 7 assistências.
Kyrie Irving: 9 pontos e 5 assistências.
Tristan Thompson: 10 pontos e 8 rebotes.


Portland Trailblazers: 49.% de acertos

Damian Lillard: 27 pontos, 6 rebotes e 7 assistências.
LaMarcus Aldridge: 16 pontos e 4 rebotes. 
Wesley Matthews: 21 pontos e 6 rebotes.
Robin Lopez: 19 pontos e 6 rebotes.



Para você fã que não pode ficar acordado vendo a partida na madrugada, bom, você acabou não perdendo grande coisa, porém o próximo jogo também é na madrugada e será contra o Jazz em Utah, mais uma oportunidade do Cavs vencer e ganhar confiança para fechar a viagem pelo Oeste contra o Nuggets em Denver.

Lembrando que é só começo de temporada, temos um time praticamente todo novo então não devemos esquecer disso mas com o passar dos jogos com toda certeza teremos um time melhor defensivamente e com mais opções no ataque.



01/11/2014

Wild deal - Varejão renova seu contrato




Enquanto nos preparávamos para o jogo contra o Chicago Bulls, os Cavaliers anunciavam a extensão contratual de Anderson Varejão por mais 3 temporadas por 30 milhões de dólares.

"Anderson representa como esta franquia quer abordar o jogo de basquete tanto dentro quanto fora da quadra." disse Griffin. "Ele tem sido uma peça fundamental no nosso time por anos e estamos muito felizes que ele continuará sendo parte da nossa família Cavs enquanto trabalhamos para atingir nossos objetivos no mais alto nível. Andy é, e tem sido, um jogador incansável, um colega de time incrível, e um grande competidor que joga com uma rara combinação de energia e intensidade que o torna especial".

Varejão está na sua 11ª temporada na NBA (todas em Cleveland) e já entrou para a história da franquia. Atualmente ele ocupa as posições

4º em rebotes (4183);
3º em rebotes ofensivos (1404);
5º em rebotes ofensivos (2779);
8º em roubos de bola (500);
8º em tocos (377);
9º em partidas (536).

Para mais informações e números visite a matéria no site oficial dos Cavaliers.

Cavs se recuperam em cima de rivais e vencem em Chicago

Depois de uma amarga derrota na estréia, os Cavs viajaram à Chicago (555 km nem é uma viaaagem assim, comparado com os jogos no Oeste, no território horizontal dos Estados Unidos) para tentar uma difícil reabilitação contra outro time sensação da temporada, os Bulls, apontados por quase todos os analistas como o principal adversário de Cleveland ao título do Leste. Como se não bastasse a grande rivalidade desde os tempos de Jordan e Price, revivida recentemente por James e Noah.

E assim começou a partida, no primeiro toque na bola de LeBron, as vaias vieram. E continuaram durante todo o quarto. Mas diferentemente da noite anterior ele começou bem, acertando seus 3 primeiros arremessos, e encontrando Varejão livre pra o chute 2 vezes. Anderson também começou bem, fazendo 6 dos primeiros 8 pontos do time. Enquanto isso, a tão cobrada defesa não aparecia e os Bulls com uma atuação muito vibrante igualavam tudo do outro lado. Cleveland começou bem, mas mole. Love levou 2 tocos numa mesma jogada e ninguém parava Derrick Rose. Destaque para Tristan Thompson que entrou muito bem, com a energia que faltava ao time e pegou QUATRO rebotes ofensivos. James terminou o primeiro quarto com 11 pontos. 28x27 Cavs.

No segundo, com James descansando, quem chamou a responsabilidade foi o nosso querido Uncle Drew com 7 pontos em seqüência. Apertando a marcação conseguimos abrir 7 pontos, o que levou a um tempo de Thibodeau. Aí voltou LeBron. Ou melhor, estreou. Finalmente colocou sua velha velocidade no jogo, infiltrações, cravadas, e todo resto. Um duelo particular entre ele e Rose, que seguia castigando principalmente de fora do perímetro, marcaram o final do quarto. 58x52 Cavs.

Um número interessante foi a grande diferença nos rebotes: Cavs 21 x 11 Bulls.

*Em um lance de ataque Rose desceu pisando no pé de Irving e saiu pulando num pé só. Imaginem o silêncio nos segundos seguintes hehe. Ele voltaria ao jogo por um momento mas não o terminou, foi para os vestiários e por lá ficou.

Rose e James travaram um belo duelo no segundo quarto.

Os Cavs voltaram para o terceiro quarto muito acesos. Imprimindo um ritmo muito veloz no ataque, com James liderando, passes longos pegando a defesa dos Bulls desprevenida. Mas o jogo seguia equilibrado e Chicago também teve seu bom momento com ele, claro, Derrick Rose levando o time, que pontuava com regularidade do perímetro. Destaque para um belo toco de Thompson em Snell após 2 rebotes ofensivos dos Bulls. 78x69 Cavs.

No último quarto, a arbitragem que já demonstrava tendências caseiras resolveu complicar de vez com várias marcações duvidosas. E Chicago veio com sangue nos olhos. Contra uma fraca marcação, impôs seu jogo, castigando nas bolas de 3 e chegaram a virar faltando 6:44 para 84x82. E nos 2 minutos finais, mais uma vez o time sucumbiu à pressão. Em 2 posses seguidas, James e Irving perderam a bola sozinhos, e nas 2 vezes Kirk Hinrich não perdoou e matou 2 de três, abrindo 5 de vantagem a 1:15 do fim. Após 2 pontos trocados para cada lado e 2 FTs convertidos do Cavs, o jogo estava 98x95 faltando 46 segundos.

GRAND FINALE

Então veio a parte decisiva da partida. Taj Gibson desperdiçou seu chute o Cavs veio pro ataque que terminou com uma linda jogada de cesta e falta de Irving, gerando muita reclamação dos Bulls, apesar de a marcação ter sido correta. 28 segundos, 98x98. Bola para Chicago e o nosso time fez uma bela marcação. Hinrich, o carrasco, errou chute de três. 4 segundos, lateral-bola no ataque. Todo mundo estranhou quando viu LEBRON JAMES ir para a cobrança. Numa jogada esquisita ele cobrou e recebeu de volta, e então passou para Love que errou a bola. Prorrogação.

Já sem Rose, os Bulls não resistiram à garra dos Cavs na prorrogação. James com 6 pontos seguidos, Irving com 4 pontos, e Thompson com 4 pontos e MAIS CINCO rebotes ofensivos, fecharam a prorrogação em 16x10, e o jogo em 114x108.

Os Cavaliers mostraram muita qualidade, desatenção em vários momentos, e poder de reação. Ainda parecem ser erros de time em construção, vamos aguardar as próximas partidas. Como é bom se recuperar em cima dos Bulls ...

Tristan Thompson, o destaque do jogo.


Pontos a serem destacados:

. Bolas de 3: Cavs 3 x 13 Bulls;
. Tocos: Cavs 4 x 14 Bulls (absurdo, um time não pode tomar 14 tocos em uma partida);
. Turnovers: Cavs 12 x 20 Bulls;
. Kevin Love fez jus à alcunha de soft. Muito mole em muitas ocasiões, ainda conseguiu levar 5 tocos;
. Dion Waiters muito fominha, precisa ter a atenção chamada urgentemente;
. Tristan Thompson, o destaque do jogo. Partida monstruosa com muita garra 16 pontos, 2 tocos, e inacreditáveis 12 rebotes ofensivos.

Números individuais:

. LeBron James: 36 pontos, 14-30 FG, 8 rebotes, 4 roubos;
. Kevin Love: 16 pontos, 5-17 FG, 16 rebotes, 4 roubos;
. Tristan Thompson: 16 pontos, 7-13 FG, 13 rebotes (12 ofensivos), 2 tocos.

Depois uma recuperação em grande estilo, os Cavs vão a Portland enfrentar os Blazers na terça (4) e depois mais 2 jogos fora com Jazz e Nuggets.

Até a próxima !

31/10/2014

Knicks surpreendem e derrotam Cavs na reestréia de LeBron James

James joga o talco e leva a torcida ao delírio.
Tudo começou lindo. Festa antes do jogo com bandas ao vivo do lado de fora para celebrar o início da temporada e o retorno de LeBron James. Era uma noite especial. Mas se esqueceram que do outro lado havia os New York Knicks. Sim, a pedra no sapato dos Cavs nos últimos jogos. Que nos venceram no único jogo televisionado na temporada passada, no dia da homenagem ao Big Z, e voltariam a nos trazer problemas.

A torcida garantiu a festa. A aguardada abertura da partida foi realmente muito bacana (diferente da atuação da equipe) e o ritual do talco esquentou a galera.

O time começou um pouquinho lento deixando NY abrir 6-2 mas logo se acertou com um run de 14-2 e Kevin Love sendo o melhor em quadra. E foi dele a jogada para o primeiro (e único) grande momento de James no 1º quarto. Com um passe de um garrafão ao outro para James que fez uma bela jogada de cesta e falta. Este começou descalibrado, com 3 TOs e bem discreto. Enquanto isso os Knicks poucos ofereciam perigo no ataque. Com a mescla entre os reservas a 2 minutos do fim, os nova iorquinos tiveram uma leve melhora e o quarto terminou em 25x18 Cavs.

A partir do 2º quarto o jogo mudou. NY começou melhor chegando a tirar a diferença para 3 pontos. Os Cavs voltaram lentos e continuaram a cometer muitos TOs. Muito consistentes contra um Cavs nervoso, os Knicks chegaram a virar o placar no finalzinho do primeiro tempo, que pelo menos acabou com uma bela ponte aérea entre Irving-Thompspn, deixando o placar em 44x42 Cavs. James muito nervoso, terminou com um péssimo aproveitamento de 1-9 FG e 4 TOs.

O 3º quarto também não começou bem. James hesitando sozinho, vários contra-ataques oferecidos, o que culminou com um início de 9-2 contra, deixando-os abrir 5 pontos de vantagem. O jogo seguiu equilibrado, com a diferença diminuindo e voltando, mas os Cavs "afrouxaram" demais a defesa, e a 2 minutos do fim do quarto os Knicks lideravam por 7. Foi quando Blatt perdeu a paciência e pediu tempo. O que era pra ser festa começou a se tornar drama. 67x 64 Knicks.

O padrão seguiu no 4º quarto e os Knicks se mantinham na liderança. Os Cavs começaram a se afobar novamente, com vários erros, má seleção de chutes, e Blatt esperando um pouco demais para parar o jogo. E assim eles levaram até o fim. Os Cavs melhoraram perto do fim com boas jogadas de Kyrie Irving, mas no momento final não conseguiu a vitória. Na última tentativa, LeBron James complicou a jogada com um passe muito estranho e a bola não caiu. E assim terminou a estréia dos Cavs com uma derrota por 95x90.



Carmelo castigou os Cavs com 25 pontos

O único destaque dos Cavs foi Kevin Love, apesar de sumir um pouquinho durante o segundo tempo. Irving também foi bem. A grande decepção ficou por conta de LeBron James, com uma atuação muito parecida com a anterior, lá em 2010 contra os Boston Celtics no último jogo de sua primeira passagem, tanto nas estatísticas como no jogo em si. Alguns números do time:

Kevin Love: 19 pontos, 14 rebotes;
Kyrie Irving: 22 pontos, 7 assistências, 5 rebotes;
LeBron James: 17 pontos, 5-15 FG, 8 turnovers.

Amanhã (31) vamos à Chicago enfrentar nossos principais rivais diretos e também na disputa pelo título da conferência. É um jogo duríssimo, mas vamos torcer pra que o nervosismo tenha passado e os Cavs se recuperem e pelo menos façam uma grande partida. GO CAVS !

19/10/2014

CAVS NA TV

No Twitter, colocamos a lista de todos os jogos dos Cavs na TV brasileira, segundo o site da NBA.
Evidentemente, muitas alterações podem ocorrer.

Colocamos o time da casa na frente, pelo costume:


29/11 - Cavs x Ind (Sports+)
04/12 - NYK x Cavs (Space)
08/12 - Nets x Cavs (Sports+)
09/12 - Cavs x Tor) (Sports+)
11/12 - OKC x Cavs (Space)
25/12 - MIA x Cavs (Sports+)
02/01 - Cha x Cavs (ESPN)
04/01 - Cavs x Dallas (Sports+)
07/01 - Cavs x HOU (ESPN)
10/01 - GSW x Cavs (ESPN)
16/01 - Lakers x Cavs (Space)
17/11 - LAC x Cavs (ESPN)
19/01 - Cavs x Bulls (Space)
25/01 - Cavs x OKC (Sports+)
05/02 - Cavs x LAC (Space)
08/02 - Cavs x Lakers (Sports+)
11/02 - Cavs x Mia (ESPN)
12/02 - Bulls x Cavs (Space)
20/02 - WAS x Cavs (ESPN)
22/02 - NYK x Cavs (Sports+)
08/02 - Cavs x Lakers (Sports+)
11/02 - Cavs x Mia (ESPN)
12/02 - Bulls x Cavs (Space)
20/02 - WAS x Cavs (ESPN)
22/02 - NYK x Cavs (Sports+)
26/02 - Cavs x GSW (Space)
10/03 - Dallas x Cavs (Sports+)
12/03 - Spurs x Cavs (Space)
27/03 - Nets x Cavs (ESPN)
02/04 - Cavs x Miami (Space)
05/04 - Cavs x Bulls (Sports+)

São 36 jogos, pouco menos da metade. Boa oportunidade para os amantes do time acompanharem passo a passo a equipe e para crescer o número de fãs da franquia no Brasil.
Então ligue a TV e bons jogos!!