16 de dez de 2014

VOLTAMOS A VENCER


Cleveland bate os Hornets por 97 x 88 e volta a vencer na NBA
O jogo foi razoavelmente tranquilo, não tendo os Cavs perdido a liderança nenhuma vez, depois de um começo avassalador. Lebron James ficou perto de um Triple-Double e Kevin Love conseguiu seu maior número de rebotes na temporada. 
Alguns comentários rápidos:

*Lebron James foi sensacional no ataque mais uma vez, inclusive marcando os últimos 5 pts da equipe que garantiram a vitória. 27 pts, 13 assistências e 7 rebotes. Só não foi um triplo-duplo porque James voltou a apresentar um comportamento passivo na defesa a partir do 3Q. A impressão que fica é que James poderia fazer um TD toda partida se se esforçasse o suficiente durante todo o jogo. De qualquer forma, não podemos deixar de falar do quão espetacular ele tem sido nos Cavs, fazendo a diferença. Depois do jogo, James ainda gastou tempo a mais com os fãs, cumprimentando, passando a bandana. É o personagem da temporada e o dono do time. 

* O início do jogo foi atípico demais. Os Cavs vieram de forma espetacular para a quadra e os Hornets sonolentos. Resultado: uma sequência de 21 x 0 nos primeiros 6 minutos. Foi a maior diferença que um time abriu no início de um jogo desde 2004, quando o Blazers fez 22 x 0 no Boston. 

*Apesar do começo fenomenal, mais uma vez vimos o time tirar o pé do acelerador ainda no 2ºQ. O resultado foi semelhante: adversário encosta no placar, time dos Cavs fica cabisbaixo. A diferença no placar chegou a apenas 2 pontos (57 x 59). 

*Está certo que boa parte da diferença foi retirada quando o time foi mesclado. Waiters e Delly começaram mal suas participações. Estranho Blatt decidir não usar James Jones no jogo, depois de boas atuações. Blatt ainda testou Harris um pouco com os titulares, o que também não causou muito impacto, apesar de com os titulares, o novato ter acertado uma bolinha de longa distância. Delly continua meio baleado, Blatt afirmou que o australiano perdeu 3 Kg em 2 dias com seus problemas estomacais. Waiters também não retornou bem da doença, com apenas 3-10 nos arremessos. E uma defesa sofrível. 

* Kevin Love teve uma noite muito boa, alcançando seu 13º duplo-duplo na temporada. De fato, Love já tinha um DD antes mesmo do intervalo. Love esteve inserido no ataque durante todo o jogo, não apenas no primeiro quarto. 22 pts, 18 rebotes (maior marca da temporada), 4 steals e 5 assistências. Ótimos números.

* Irving consegue mais um jogo com pelo menos 5 assistências, mas desta vez com um jogo equilibrado ofensivamente. mesmo os 16 pontos sendo menos que os 17 que ele conseguiu apenas no 4Q do último jogo, desta vez Irving foi 6-14, e distribuiu bem sua pontuação. O que vemos cair é a eficiência do jovem armador nas bolas de longa distância. Nada pra se preocupar extremamente. Irving fez boa defesa sobre o Walker, apesar dos 24 pts do Kemba. Porém muitos destes pontos foram conseguidos com Delly e Waiters em quadra. 

* 28 assistências em 38 cestas, 10 roubos de bola, contra apenas 4 do adversário e somente 11 turnovers são números que expressam que mesmo com o cochilo durante a partida, não foi um jogo ruim.

* Cleveland está 12-3 contra times do Leste. O que faz muita gente dizer que os Cavs só ganham de times fracos. Não me interessa. A boa, boa não, excelente notícia é que nós somos um time do Leste,  e dos próximos 57 jogos, 37 ainda serão contra times de nossa conferência. 

Próximo jogo é contra mais um time do Leste, o Atlanta. Contudo o time do Atlanta conseguiu 9-1 nos últimos 10 jogos e vem numa crescente incrível, com boa campanha (17-7). Vejamos como os Cavs vão jogar, naquele que aparenta ser o mais perigoso desta sequência em casa.  
Você acredita na vitória??

13 de dez de 2014

INSUFICIENTE

Foi uma noite terrível! Perdemos para o New Orleans Pelicans sem o A. Davis, que saiu antes do fim do 1Q com dores no peito, e ainda vendo R. Anderson (30pts) e Tyreke Evans (31pts) sendo destaques. Fomos dominados e não tivemos chances de vitória, apesar das atuações individuais e da tentativa de virada no último quarto.
Alguns comentários rápidos (Antes que o bebê chore...)

*Lebron James retornou à equipe, depois de perder o último confronto com dores no joelho esquerdo. E ele foi simplesmente espetacular. 41 pontos (17-24), 5 rebotes e 5 assistências. Ele estava imparável. Não havia defesa, por parte dos Pelicans para ele. James alcançou mais uma vez o maior número de pontos da temporada, tendo anotado 19 apenas no primeiro quarto. Ao que parece, James está interessado em recuperar sus bons números de média e calar a boca daqueles que falam que ele está em declínio. Interessante que mesmo jogando sozinho, James não repetiu em quadra seu comportamento de ficar reclamando, resmungando com os companheiros de equipe, além de mostrar novamente um esforço defensivo mais condizente com o papel de líder do time e exemplo aos mais jovens;

* James ontem, juntamente com LaMarcus Aldrige e Damian Lillard, foram exemplos de que não adianta um jogador ter uma performance espetacular, se o resto do time não for minimamente competente ao menos para defender.

*Cavs foi incrivelmente incompetente na defesa neste jogo. Com a saída de A. Davis, NOP ficou limitado ofensivamente a Evans e Anderson e, mesmo assim, Cavs ficou assistindo 8 bolas de 3-pts. A defesa em zona 3-2 estava permitindo os chutes de longa distância e abrindo muito espaço pelo meio do garrafão para infiltrações. Um desastre completo, que deu ao time de NO 55.7% de aproveitamento;

*Kyrie Irving também estava ameaçado de perder o jogo por causa de problemas no joelho. Ele, porém, também foi para o jogo. Mas seu desempenho foi bem diferente do de James. Irving errou os primeiros 10 arremessos que tentou e só foi marcar um ponto no último período. Uma atuação desastrosa. Ou seja, ele marcou seus 17 pontos todos no fim do jogo. Ok, foram 7 assistências, mas Irving não está sendo o Irving. Ele está com desempenhos abaixo da média nos últimos 4 jogos, com média de apenas 14.3 pts. Não é assim que um cara com contrato com a Nike atua.  

*Kevin Love anotou 19 potos na primeira metade do jogo.  Na segunda metade, ele sumiu. Apenas 1 cesta. Excelente aproveitamento dele em lances livres (11-10 nos FT). Nos rebotes, Love conseguiu apenas 7, acabando com sua sequência de double-doubles. Por sinal, ninguém no time conseguiu dígitos duplos em 2 quesitos do jogo. 

*Varejão conseguiu 11 pontos e 7 rebotes em apenas 18 minutos de jogo. Maravilhoso, não? Não. Ele só jogou 18 minutos por um simples motivo, defesa. Com Varejão em quadra, o time levou mais pontos do que anotou (-10). Ainda na esperança de que Blatt use Varejão e Thompson juntos, nos momentos em que Love estiver no banco.

* O banco dos Cavs voltou ao desempenho dos primeiros jogos. Até Delly foi muito mal, errando tudo que tentou e sem impacto defensivo. No total, o nosso banco foi superado em 49 x 18. em compensação, vimos mais uma vez  o novato Joe Harris estar em quadra no fim do jogo quando o time deu uma arrancada para tentar a virada. James Jones também está sendo muito eficiente nos arremessos longos. Os dois ontem foram 4-5 nos 3-pts. Dor de cabeça para Blatt.

*Dion Waiters jogou apenas 9 minutos e anotou 2 pontos. E estranhamente saiu do ginásio para ser atendido numa unidade hospitalar com dores no abdômen. Ele permaneceu em New Orleans e ainda não há notícias de seu retorno para Cleveland.  Dellavedova também ficou fazendo exames e também não viajou para Cleveland por ficar doente (vomitando).

Cleveland agora encara uma sequência de 5 jogos em casa, perfeitamente vencíveis. Excelente oportunidade de reerguer o moral e manter o recorde positivo. 

Agora que os Cavs chegou a 20 jogos, quase 1/4 da temporada, vamos preparar um especial analisando a atuação do treinador David Blatt, sua adaptação, seus erros e acertos, além dos seus desafios. 
Até mais!


12 de dez de 2014

SEM LEBRON E SEM VITÓRIA

Encerrada a série de vitória dos Cavs, que perdeu para a forte equipe do OKC. 94 x 103. Sem Lebron James, Cleveland fez uma partida razoavelmente boa até meados do 3Q., quando os Cavs voltou a defender mal e deixou o time da casa abrir no placar com uma série de bolas de longa distância em sequência. 

 O jogo foi bom para testar o time sem Lebron James, que ficou de fora com dores no joelho. E se fôssemos analisar apenas a primeira metade, poderíamos fazer um texto aqui elogiando bastante Kevin Love, Waiters e companhia por manterem o time competitivo. Contudo, se fôssemos analisar a segunda metade, faríamos um texto aqui falando mal do time, sobre dependência e tudo mais. No fim, ficaremos no equilíbrio. 

 O jogo foi marcado por um lance no final do segundo período, em que Irving chocou seu joelho no joelho de WesTO, na hora que caía no chão. Kyrie demorou para se levantar e foi direto para o vestiário. A apreensão foi grande. O lance olhado pelo replay parecia ser feio e a contusão certa. Contudo, Irving retorna do intervalo e volta ao jogo. 

 Uma decisão muto questionável, afinal é só um jogo de temporada regular e Irving é fundamental para o sucesso da equipe este ano. Irving terminou o jogo com 20 pts e 6 assistências. 

 Esta derrota marcou também a importância de Dellavedova dentro do grupo. Na ausência de Lebron, ele foi o escolhido para começar a partida. E fez um jogo excelente, mais uma vez. 14 pts (5-8), 4 assistências. Waiters fez os mesmos 14 pontos, mas defensivamente muito inferior. Veja que Dion foi (-17) e Dellavedova (+7), tendo o australiano jogado 8 minutos a mais. 

 No fim do jogo Cavs ainda se recuperou na partida e fez uma boa sequência para dar emoção à partida. E o detalhe foi a escolha de Blatt de colocar o novato Joe Harris em quadra, com mais um time pequeno. Deu certo, Cavs que perdia por 16, teve a oportunidade de reduzir para 1 cesta a desvantagem. No fim, Durant converteu 8 pts seguidos para OKC para dar a vitória ao adversário. 

Thompson vem mostrando muita evolução também. Ele e Love conseguiram mais um double-douuble, cada. Os dois juntos porém não conseguem defender o garrafão. Varejão também não tem a força e a energia suficiente para isso. 

 Cavs encara o Pelicans hoje, em New Orleans. Vamos ver se Irving e Lebron virão para a partida. Até lá!

10 de dez de 2014

ELE ESTÁ DE VOLTA


Ele está de volta!!! E eu não estou falando do King James. Estou falando de Matthew "Pitbul" Dellavedova. Ele foi o grande responsável por trazer a energia defensiva que os Cavaliers precisavam para virar o jogo para cima do Líder (por enquanto) da conferência Leste, Toronto Raptors. 105 x 101 num jogo de final eletrizante!!!

Vamos a alguns comentários nem tão rápidos, pois hoje a sogra está com o bebê!

*Dellavedova foi um dos destaques do jogo porque entrou no período final e conseguiu parar o time canadense na defesa. Cavs passou maior parte do jogo sem conseguir uma resposta para o ataque dos Raptors que teve mais de 65% de aproveitamento nos arremessos por pelo menos mais de 3 quartos do jogo. Mas a entrada de Delly mudou o ânimo do time. O australiano conseguiu forçar vários turnovers do adversário, atrapalhar os arremessos, tocar a bola nos passes. E isso inflou os companheiros que conseguiram ver a possibilidade de vitória. Isso não aparece no boxscore, mas foi notório para todos que viram a partida, mesmo o Delly saindo sem nenhuma steal no jogo.

*Cavs limitou o Raptors a apenas 13 pts no último período. Cavs defendeu bem por apenas 8 minutos de jogo e conseguiu ganhar o jogo após estar perdendo por 10 ainda neste período final.

*Até lá, a defesa foi péssima. Mas quero usar essas linhas para mais uma vez falar da incapacidade do time em proteger o aro. O garrafão dos Cas foi uma festa e nem Love (Claro), nem Varejão, nem Thompson conseguiam parar Valanciunas, Amir e James Johnson. Valanciunas por sinal conseguiu o seu jogo com mais rebotes na temporada. O garrafão dos Cavs continua preocupando e ainda não está descartada um troca que possa trazer um pivô para o time.

*Mas Dion Waiters quer garantir que ele não será a moeda de troca. Mais uma vez ele brilhou pelo time vinho e ouro. Com muita confiança, ele terminou com 18 pts (7-10), com direito a 3 bolas de longa distância. No fim do jogo, Waiters mandou espalhar que ele se achou e que ele estava de volta!! Coincidência ou não, seu "retorno" se deu com a volta de Dellavedova às quadras.

* Lebron James fez uma partida excepcional. A melhor desde o seu retorno, se você considerar ataque E defesa. Surpreendentemente o astro estava a fim de jogo desde o início. E com muita vontade na defesa. Foi um dos jogos com mais energia que vimos de Lebron. Ele fez de tudo no ataque e foi o jogador mais efetivo durante o jogo inteiro. Não temos do que reclamar. Ao acertar a bola de três pontos decisiva, que desempatou o jogo a 48s do final, bradou para a torcida "É para isto que eu estou aqui".

*Essa bola de três de James, por sinal, levou o jogador a empatar com o gênio Mark Price em número de bolas de longa distância com a camisa dos Cavs (802). No total, foram 35 pontos para King James. Desta vez, porém, seu número de assistências foi baixo, diferente do que aconteceu nas últimas partidas.


Perceba a energia de Lebron James ontem...


*Quem deu muitas assistências ontem foi Kyrie Irving. Esse foi o jogo com maior número de assistências do armador dos Cavs na temporada. Seria excelente. Mas Irving foi bastante passivo no jogo. Ver Irving sozinho na linha dos 3, de frente para tabela, passar a bola para Dellavedova tentar o arremesso de longa distância é algo incomum e que incomoda. Confesso que prefiro o Irving agressivo, que bate para dentro que arremessa, de forma meio egoísta, às vezes. Vamos ver o comportamento dele no próximo jogo.

*Vamos abrir um parênteses para a arbitragem. Após James dar a vantagem para os Cavs com a bola de 3 que falamos acima, Cavs consegue a possa de bola novamente com um erro do Lowry e uma defesa sensacional de Dellavedova e de Thompson, a 25 segundos do final. Cavs pede tempo e em seguida, para surpresa de muitos, Raptors decide não fazer a falta. Cavs já tinha colocado seus melhores arremessadores em quadra. Até que depois de 10 segundos, Lowry fez a falta em James Jones que não tinha mais a posse de bola.  Juízes de forma no mínimo questionável decidem dar falta intencional dos 2 minutos finais, cedendo então um lance livre ao Cavs e a posse de bola. Turma de Toronto ficou maluca, com certa razão, estava claro que o time não queria parar o jogo com falta. James comete o FT e a bola vai para Love dar a saída de bola. Eis que então os juízes marcam violação de 5 segundos para saída de jogo. Você precisava ver a cara de Devaid Blatt. Incrível como os juízes compensaram de forma bizarra o erro anterior. Love demokrou é verdade, mas se passaram apenas 4 segundos. Erro medonho!

*Por fim, vale falar da torcida dos Cavs. Nos minutos finais, quando os Cavs empatou o jogo em 97, com uma bola de 3 de Love, o ginásio quase veio abaixo. Foi um clima sensacional. Treinador reconheceu a importância do público. "Nossos fãs foram incríveis esta noite! The Q estava vibrante...Se eu pudesse agradecer a cada um deles, eu faria."

*Sensacional a transmissão dos últimos 4 minutos de jogo no Sports+ também. Com bons comentários técnicos do Giamcarlo Giampietro e muita emoção do Marcelo Santos, conseguiram trazer para telona a emoção de uma partida que seguia para uma vitória chata dos Raptors e mudou completamente no final.

Cavs consegue sua oitava vitória seguida, é o líder de sua divisão e já está na quarta posição da conferência. Próximo jogo é na quinta, contra OKC, em Oklahoma, e novamente com transmissão da TV, desta vez pelo canal Space. Será um jogão. 

9 de dez de 2014

REALEZA EM QUADRA


Foi uma partida incomum. Quando você vê que os Cavs vai enfrentar os Nets sem 2 de seus titulares, você pensa que será fácil. Se você não viu o jogo e viu o placar de 110-88 você vai achar que sim. Mas quem viu o jogo, viu que aos 7:14 do 3Q o jogo estava empatado em 61. 

Mas não era uma partida comum. Uma partida em que a família real inglesa põe os pés no ginásio, com certeza tinha um peso diferente. Cavs demorou, mas entendeu isso e resolveu dar um show justo no terceiro período. Foi um verdeiro showtime, para príncipe nenhum botar defeito. O jogo saiu de 61-61 para 85-67. Ei gênio da matemática, é isso mesmo, parcial de 24-6 em 7 minutos. Como o jogo teve transmissão do Sports+, só posso dizer que foi UM ESPANTO!

Alguns comentários rápidos enquanto meu bebê não acorda:

*Kyrie Irving teve uma partida para esquecer. Irving cresceu como torcedor dos Nets e costuma-se brincar que ele sempre alivia contra os Nets, por causa de atuações apagadas. Pois ontem foi mais uma atuação para os boatos. Partida apagadíssima do armador, que pode explicar a dificuldade que os Cavs vinha tendo no jogo. Irving chegou a ficar 0-7 no jogo. Os 7 pts conseguidos foram justo no 3Q do show. 

* Se Irving foi mal, Waiters jogou como nunca!!! Que partidaça do SG dos Cavaliers, justo no dia em que os boatos de uma troca envolvendo o jogador com o pivô Kostas Koufos do Memphis circularam entre a mídia especializada. Uma partida tão encantadora quanto a Duquesa Kate. Entrando no jogo com James Jones, Waiters aproveitou a oportunidade para mostrar seu valor. Foi o cestinha da partida com 26 pts e conseguiu um surpreendente plus/minus de (+32).  Foi a melhor partida de Dion no ano. 


*Surpreendente também foi a atuação do banco dos Cavs. Claro, principalmente por causa do bipolar Dion Waiters, mas quem começou a mostrar um bom trabalho foi James Jones.Com duas bolas de 3-pts em 2 minutos, Jones deu início a um desempenho dos reservas que agradou até o torcedor dos Cavs mais exigente. Foram 59 pontos produzidos pelos reservas. Que evolução! Jones terminou com 12, Thompson mais uma vez foi um animal também com 14 pt e 12 rebotes (8 ofensivos).

*Cavs sofreu muito para proteger o aro durante o tempo de jogo equilibrado. Mais de 60% dos pontos dos Nets era na área pintada da quadra defensiva. Estava vergonhoso. Mas quando você olha a luta dos rebotes percebe que Cleveland mudou o jogo. Vencemos a luta dos rebotes de forma incrível, 55 x 33, com direito a 20 rebotes ofensivos. No 3Q, o garrafão sem proteção foi o de Nets que viu uma sequência de enterradas para deixar Austin Carr sem voz de tanto gritar Throw The Hammer Down!! Varejão (14), Love (14) e Thompson conseguiram dígitos duplos em rebotes.

* Dellavedova retornou hoje depois de um longo e tenebroso inverno. Bastante fora de ritmo, sofreu bastante, mas logo se percebe que tem moral com treinador Blatt, pois foi para quadra já no primeiro quarto da partida. 

*Primeiro quarto de partida, por sinal, foi tão atípico para o time que somente Kevin Love(15) e Lebron James(7) pontuaram pelo time de Ohio. Love dominou as ações ofensivas no início, como de costume. Cleveland teve uma sequência de 10 arremessos perdidos. Ataque dependeu demais da individualidade. Nos 3 últimos quartos, porém, anotou somente mais 4 pontinhos. Ajudou bastante porém dominando os rebotes defensivos. James chegou ao 3Q com os mesmos 7 pontos, mas com uma vontade completamente diferente. Fez os 9 primeiros pts do time no quarto e comandou a virada da equipe, mostrando que em quadra, ele ainda tem a coroa.

*Impressionante como a família real ainda tem um enorme fascínio sobre as pessoas. No momentos que o príncipe e a duquesa entraram para ver o jogo do lado do ginásio, até os milionários que pagam até mil dólares num assento, viraram seus smartphones para tirar uma foto das altezas ali presentes. Por uns dois minutos, ninguém no ginásio viu o que acontecia em quadra, só olhavam a careca do príncipe e as pernas a roupa da princesa.  


Cleveland conseguiu sua sétima vitória em sequência. Algo que não vimos desde que Lebron jogava pela franquia. Ainda hoje temos mais um desafio, o Toronto Raptos e seu orgulho ferido. E mais uma vez haverá transmissão na TV com o Sports+.
Eles vem de uma prorrogação, quem mais jogou nos Cavs foi Lebron, com 34 minutos. Irving jogou apenas 28 minutos. Vai ser um jogão!!

6 de dez de 2014

CONSISTÊNCIA


Cavs vence sua sexta partida seguida. Os Raptor fizeram um jogo duro, mas Cavs fez uma das partidas mais consistentes da temporadas, sem muitos altos e baixos e teve a paciência para conduzir o jogo a uma vitória de 105 x 91. 
Uma vitória para tirar a má impressão deixada pelo jogo de ontem. Vencemos o líder da Conferência de forma categórica. Sempre que os Raptors ameaçaram uma reação, Cleveland teve força e bom basquete para revidar. 

Comentários rápidos sobre o jogo:

* A grande surpresa ontem foi ver James Jones ganhar VÁRIOS minutos na partida, desde o primeiro período de jogo. Jones ganhou os minutos de Mike Miller, que ficou nos EUA para exames depois da concussão sofrida no jogo de ontem. E Jones foi bem. Durante os 14 minutos em quadra, anotou 6 pontos em dois arremessos de longa distância. Apesar de muito fora de ritmo, não comprometeu tanto a defesa.  Se Cavs conseguir deixar tanto Miller como Jones dentro da rotação, o time se fortalece bastante. 

* O banco dos Cavs por sinal venceu a batalha dos reservas. (33x25). Uma nota que não esperávamos ver por aqui tão cedo, devido ao desastre dos últimos jogos. 
*O grande responsável or isso foi o canadense Tristan Thompson. Com impressivos 21 pts, 14 rebotes, sendo 9 ofensivos, Thompson foi o destaque do time principalmente no final da partida. Excelente ver o time contar com uma ajuda desse tamanho vinda do banco de reservas. Dion Waiters, você pode ser o próximo, não se acanhe.


*Lebron James anotou mais um duplo-duplo. 24 pontos e 13 assistências. Se James não fosse tão preguiçoso na defesa, pegaria mais rebotes e estaria liderando a liga em triplo-duplos, pois com o controle da bola nas mãos está sempre fazendo jogos para 10+ assistências.

*Irving descansou por 10 minutos na primeira metade da partida. Natural depois dos 44 minutos de ontem. Depois do intervalo contudo quase não descansou. Foi quando marcou 13 dos seus 15 pontos. Não tentou resolver tudo sozinho e distribuiu 6 assistências, ajudando muito ainda com 4 rebotes e 2 roubadas de bola. E defendeu muito bem. Está evoluindo bastante na quadra defensiva, o que está conduzindo o jovem armador a um patamar de elite. Sei que muitos ainda olham para ele como um pontuador que não defende nem passa a bola, mas nesta temporada Irving parece ter definitivamente dado um passo a frente que o torna um dos melhores jogadores de basquete da liga. 

* Ontem, depois do brilho de Tim Hardaway Jr., o pessoal do @CavsBrasil falou que Cleveland adora consagrar jogadores comuns. Não poderia ter sido mais feliz. Pois bem, hoje foi a vez de Amir Johnson. 27 pontos em 11 de 15 nos FG, além de 5 rebotes ofensivos para ele. 

*Cleveland curiosamente esta deixando muitos pontos na linha do lance livre. Ontem foram 14-21, 66% de aproveitamento. Não é o ideal para um time que vai buscar o título. 

James não brilhou, Irving não brilhou, Love (15 pts, 5-13, e 13 rebts) não brilhou e mesmo assim vencemos quase de ponta a ponta a partida. Isso é muito bom. O time foi bastante equilibrado. Defensivamente reduzimos um time de 112.4 pontos por jogo a 91 na noite de ontem. Claro que Toronto está sem seu grande astro. Mas foi bom vingar a derrota que sofremos em Ohio. Isso inclusive motivou os jogadores. Nas palavras de Thompson, "nós quisemos fazê-los provar do seu próprio remédio"

Agora jogamos na segunda, contra os Nets, com transmissão do Sports+, antes de voltarmos a enfrentar o Toronto na terça-feira, mais uma vez num back to back. Se vencermos os Nets, chegaremos a maior sequência de vitória dos últimos 04 anos. 

5 de dez de 2014

...E VENCEU


Foi um jogo feio. Em certos momentos cansativo e chato de assistir. Muitos não resistiram, foram dormir. Isso porque o time jogou mal, sem vontade, sem raça, sem disposição. Time foi mal ofensivamente e péssimo defensivamente. Time jogou um dos seus piores  jogos e  sabe Deus como venceu. 90 x 87
Algumas considerações rápidas (entre mamadeiras e trocas de fraldas):

* É inadmissível um time de estrelas da NBA, jogando num palco consagrado do esporte, com toda atenção da mídia, jogar num nível tão baixo de intensidade. A defesa foi vergonhosa. Lebron James andou em quadra por muitos momentos. Um jogo em que os atletas por diversas vezes preferiram deixar o adversário converter a cesta a contestar o arremesso ou a bandeja. Não é o tipo de comportamento que se espera de uma equipe vencedora ou que pretende disputar um campeonato. Nem contra o 76ers se admitiria este comportamento.

*Lebron James mais uma vez teve uma atuação fraquíssima. A única coisa consistente no seu jogo de ontem foram suas falhas defensivas. Você verá o BoxScore e pode não perceber como a partida do astro foi lamentável. Como líder da equipe, não podemos vê-lo andando em quadra. Insistiu em ser o PG da equipe, o que ontem foi até proveitoso, pois o Irving estava fenomenal. Mas voltou a cometer, por isso, foi o jogador da equipe com maior número de turnovers. O que essa sequência de partidas quer dizer sobre James??? Nada! Absolutamente nada.

*Mas é bom saber que a equipe continua vencendo jogos sem necessariamente colocar todo o peso em cima de Lebron James.  Love fez bom trabalho nas partidas anteriores e hoje, Kyrie Irving carregou o time ofensivamente.

*E por outro lado, James foi bem nas assistências, alcançando 12 no total, que consolidaram mais um duplo-duplo no seu retorno à Cleveland. No 3Q, James tinha mais assistências que pontos!!!

*Kevin Love foi outro atleta que conseguiu chegar a um duplo-duplo, com 11 pontos e 11 rebotes. Love foi acionado no início de partida novamente, até respondeu bem, mas não foi a arma ofensiva dominante, depois foi tocando menos na bola e sendo discreto o jogo.  Assim cometeu bem menos erros (apenas 1). Porém destaco que na partida ele não foi nosso aspecto mais fraco defensivo.

*Nossa defesa foi destruída inicialmente pelo perímetro adversário. Miller e Waiters abriram uma espaço tremendo para que Tim Hardaway Jr. fizesse uma festa de bolas de longa distância, mesmo tendo saído do banco. Em 8 minutos, H. Jr. anotou 16 pts. graças ao bom Deus o treinador adversário o deixou apenas 20 minutos em quadra e o novato foi o cestinha dos Knicks com apenas 20 pontos. Quem sofreu também foi Thompson e Varejão para proteger o aro e pegar os rebotes necessários. Assim, Amare Stoudemire conseguiu uma grande partida com 8-13 nos arremessos e com direito a fazer um Poster cravando na cabeça de Varejão.

*Pra piorar o aspecto defensivo e ofensivo, Blatt fez questão de, por duas vezes, descansar Love e James ao mesmo tempo. Já falamos reiteradas vezes que Love cresce de rendimento na ausência de James em quadra. Resultado só poderia ser desastroso para o time reserva. Time reserva por sinal que continua levando um baile dos adversários. Ontem, em termos de pontos foi mais uma surra: 42-10. Pelo menos Waiters contribui com mais da metade(6) dessa merrequinha dos reservas.

*Vamos falar de coisas boas? Então daqui para frente só poderemos falar de Kyrie Irving. Ele deu um show ontem. Mais uma vez, o garoto brilha no MSG (Lembra do Menino da Máscara de Ferro?). Foi um espetáculo! 37 pontos, 2 assistências, 3 rebotes e 2 roubadas de bola. Com cestas mais lindas que as outras. No primeiro jogo com seu tênis assinatura, Irving mostrou porque mereceu o contrato com a Nike. E antes que você venha me falar que ele só deu 2 assistências, relembro que conduziu a bola como armador foi James. E não me venha discutir que John Wall é mais completo e por favor, evite falar de Rondo aqui. Irving jogou como Scorer ontem. Bem diferente do jogo contra o Utah Jazz, quando também passou da casa dos 30 pts e não deu assistências. Quem conduziu mais a bola foi James, como dito acima. Irving assumiu a responsabilidade pela pontuação da equipe e não decepcionou.  E se não fosse ele, estaríamos perdendo por pelo menos 10 pontos no 3Q,  quando era o único atleta da equipe com dígitos duplos de pontuação.

*Você merece ver abaixo o show de Irving. Veja inclusive a última cesta que ele fez, que deu ao Cavs a vantagem de 3 pts e definiu a vitória. Cesta linda, mas não sem antes alguma  divergência com o treinador. Acontece que Blatt pediu um timeout faltando 9 segundos de posse de bola, quando o time já tinha criado uma isolation para Irving que tinha a bola nas mãos. Irving saiu reclamando para o banco de reservas de forma contundente. Bem, no final Blatt armou a jogada para Irving mesmo definir no um contra um, e deu certo. Com a diferença que antes, James estava na esquerda e o resto do time na direita, assim, o marcador de James poderia atrapalhar uma infiltração de Irving. Questionado sobre a reação do jogador, Blatt com aquele seu bom humor ácido, soltou "É por isso que ele (Irving) está fazendo um trabalho muito melhor como jogador do que como treinador". Irving minimizou e deu crédito ao treinador. Disse que aúnica jogada que aconteceu foi a desenhada pela equipe técnica e foi a que deu certo.



*Viu o Show?? Pois é, isso motivou Lebron a considerá-lo um dos melhores definidores ao redor do aro que ele já viu jogar. "Eu nunca vi alguém finalizar como ele finaliza debaixo do aro. É inacreditável!". Elogio real, não se pode desconsiderar. Detalhe, Irving jogou por 44 minutos e praticamente de forma ininterrupta a partir do 2Q. Veremos como será a rotação hoje diante do líder  do Leste, Toronto Raptors. 

*Mike Miller não viajou para o Canadá. Ficou em NY seguindo os protocolos médicos para uma suspeita de uma concussão. 

*Foi a quinta vitória consecutiva dos Cavs. Excelente. Lembra como no ano passado sofremos para conseguir 3? Mas se o time continuar nesse ritmo, não mantém a sequência diante do forte adversário.  

3 de dez de 2014

BIG WAY


Cleveland vence apertado a boa equipe dos Bucks. 111 x 108. É a quarta vitória seguida, que deixa o time com a campanha de 9 vitórias e 7 derrotas. Sobre o jogo, algumas considerações importantes:

*Mais uma vez os Cavs usaram a estratégia de alimentar ofensivamente o Kevin Love e mais uma vez deu certo. Sozinho, o rapaz do amor anotou 17 pontos dos 30 da equipe no 1º quarto. Total de 27 pontos para Love, que anotou mais um duplo-duplo, com 10 rebotes. 

*Jogo do Love só não foi mais digno de nota porque ele cometeu 7 turnovers. Ele e Lebron James combinaram para 14 desperdícios de bola, do total de 19 do time. 

*Lebron James fez uma partida abaixo da média (dele, claro), apesar dos bons números. (26 pts, 10 ast, 5 rebotes). O astro apenas acordou para a partida no período decisivo. E quando ele decide jogar, difícil de parar. Mas ele esteve muito mal defensivamente. No ataque, também estava mal, errando seus arremessos de quadra. E insistindo em levar a bola no ataque, tomando as vezes de armador. Não à toa o grande número de erros. Até nos lances livres o astro errava demais (estava 6 - 11, terminou 14 de 21 com a sequência no final da partida. 

*Cleveland por sinal deixou 11 pontos na linha de lances livres. 27-38 FT

* Irving fez mais uma partida muito boa. Cestinha do jogo, com 28 pontos, ainda coletou 2 rebotes e deu 6 assistências. Não foi um primor na defesa como no jogo anterior, mas mostrou boa disposição. A gente não pode deixar de comentar como ele faz o jogo parecer fácil. Cada bandeja linda, com controle de bola fenomenal. Irving deve estar muito feliz de Lebron levar a bola, porque vem cometendo cada vez menos TO. Contra os Bucks, apenas 1. 

* Se você é bom de matemática, percebeu que o Big-3 combinou para 81 pontos no duelo. Primeira vez que os três jogadores fazem juntos pelo menos 25 pontos. 

* Ainda bem que o quinteto titular foi bem, pois o banco de reservas continua sofrível. Mais uma vez derrotado pelo banco adversário (25-12). 

* Dion Waiters jogou por apenas 8 minutos e 53 segundos e não anotou pontos. Nos últimos 7 jogos, Dion está com 16-53 de aproveitamento nos arremessos de quadra.

*Mas o personagem que receberá o crédito pela vitória saiu do banco de reservas. (Do buraco negro do banco, por sinal). Mike Miller foi chamado por Blatt apenas no 3Q, quando os Cavs se perdera na partida e permitira uma vantagem de 11 pontos para o adversário. Ele ajudou a equipe a voltar para o jogo. Foi a peça da engrenagem que fez o time produzir e ajudou a parar o adversário. E conseguiu 2 bolas de longa distância, além de pegar 7 rebotes. Isso mesmo, 7 rebotes em pouco mais de 17 minutos em quadra, sendo 2 ofensivos. Thompson ficou por mais de 25 minutos e pegou apenas 3 no total. Miller deu até 1 toco!! 

* Um dia antes da partida, Lebron comentou que Miller precisava de uns minutos consistentes em quadra. Coincidência ou não, ele veio para quadra e fez este bom papel. Blatt afirmou após a partida que ele ele estabilizou a equipe e deu a confiança que precisávamos. "Miller é um profissional. Ele respondeu a nosso chamado de uma GRANDE forma". Nem precisamos dizer que Lebron não é o único a querer mais minutos para o Miller e que ver Marion como homem aberto para bola de 3-pts não agrada muita gente em Cleveland. Vejamos como Blatt vai conduzir a situação nos próximos dias. 

*Pequeno detalhe sobre o adversário: belo jogador o Jabari Parker! 22 pts para o novato com 11-15 nos FG. Concorre fortemente ao prêmio de calouro do ano.

Depois de 5 jogos em Casa, o Cavs vão para uma viagem de 3 jogos distante de Cleveland. O primeiro deles contra a equipe dos Knicks, na quinta-feira, com transmissão do Canal Space para a TV.
Será que conseguimos a quinta vitória seguida??

-------

Agradecemos a todos por termos alcançado a marca de 100 mil visitas.
Começamos como um blog alternativo, de humor e diversão....
E hoje(....) Hoje continuamos do mesmo jeito!
(...)Estamos fazendo o máximo para levar informação para vocês, mesmo com uma segunda faculdade, um filho de 1 mês e a responsabilidade de uma chefia no meu trabalho remunerado.
Agradecemos a Diego e João que proporcionaram a expansão. Marcos por se juntar à equipe. E todos que ajudam divulgando, apoiando, comentando.
Valeu, pessoas!

---------
Resumo visual do jogo



30 de nov de 2014

DEFESA SURPREENDENTE

Excelente vitória dos Cavs ontem na Q-Arena. 
Terceira seguida que leva o time a uma campanha de 8-7, sendo time da conferência com maior sequência no momento. 
Cleveland deu show no 1Q, abrindo 27-8 na primeira metade do quarto. Pacers equilibrou e levou a partida a 52-49 no intervalo. Na segunda metade, show da equipe de Ohio para mais uma vitória tranquila. Cleveland pegou menos rebotes que os Pacers, roubou menos bolas e cometeu mais turnovers e ainda assim ganhou a partida tranquilamente. Defesa muita vezes vai além dos números.
A vitória de ontem merece alguns comentários:

*Love foi fantástico ontem. Em 7 minutos já tinha marcado 16 pts, sua média por partida, até então. Com a ausência de Varejão, Love foi incluído desde do início nas escolhas ofensivas da equipe. Foi o cestinha da partida ontem com 28 pontos (9-13) e ainda contribuiu com 10 rebotes. Em quanto podemos determinar a super atuação ofensiva do Love com a ausência do Varejão? 85%. Está claro que o time tentou fazer com que Love desse mais arremessos no início, mas é certo que muitos PKR que o Love participou seriam praticados naturalmente com o Varejão. 

*Varejão, que ficou de fora com dores nas costelas, resultado ainda de um lance no jogo dos Magics, teve 5-5 no último jogo e tem tido uma magnífica temporada ofensiva. Muitos contudo já cogitam a possibilidade de o brasileiro ir para o banco de reservas. Seria bom para fortalecer o banco de reservas e abrir espaço para Love. Mas Blatt não sinaliza essa possibilidade. Vamos lembrar que as duas vitórias anteriores foram muito boas também e nelas Varejão foi destaque. Para Blatt, Love atua muito bem com Thompson e com Varejão. 

*Love também fez uma de suas melhores partidas defensivas. Blatt disse que acredita que Love está fazendo sua melhor defesa da carreira. Para mim, foi a melhor partida defensiva que eu vi do Love com os Cavs. Você vai olhar o boxscore e ver West com 14 pontos e pensar "não foi tão boa assim". Mas maioria das cestas do West foi com Thompson na sua cola. 

*Por falar em defesa, meus olhos mal acreditam ao verem Kyrie Irving defendendo. Uma mudança significativa. Ontem Kyrie fez uma das partidas mais completas da sua carreira. Excepcional! Raramente você vê Irving tão bem dos dois lados da quadra. Ofensivamente seus 24 pontos são comuns para ele. Mas veja que enquanto Irving esteve em quadra, Cavs superou o Pacers em 31 pontos (+31). Isso porque ele foi muito bem defensivamente com inesperados 10 rebotes e (vejam só) 3 tocos. Irving tinha 4 na temporada e só ontem foram 3. Sem falar na quantidade de vezes que ele forçou os Pacers a cometer turnovers. Irving é um dos melhores armadores da liga, com certeza o melhor da conferência, liderando no aspecto pontuação e como sétimo na equação assistência/turnovers.

* Cleveland deu show nos contra-ataques. Foi muito efetivo no quesito. E na transição defensiva também. Permitiu apenas 4 pontos para os Pacers desta forma. Jogando em velocidade, time tem potencial para ser um dos melhore da liga.

* Entrevista do Blatt encerrada, ele resolve abrir espaço para mais uma pergunta de um repórter de fora dos EUA. O repórter sai com "Por que Mike Miller não está jogando". Reação simpática do treinador foi dizer que deveria ter terminado a entrevista. Mas repórter fez a pergunta que muitos continuam fazendo. Ontem houve mais um momento de garbage time e mesmo assim não vimos nem Miller nem Jones pisar em quadra. Em vez disso vimos Dion Waiters esticar seus minutos com a turma do terrão.

*Dion, por sinal, fez mais uma partida abaixo da média. Blatt o manteve em quadra no final para provavelmente dar mais confiança ao atleta que está precisando melhorar sua eficiência. (-18 em 21 minutos em quadra, apenas 1 arremesso de quadra convertido). Creio que os Cavs vai precisar muito dele. Blatt várias vezes tem escolhido deixar ele em quadra no descanso de Lebron. Como Scorer, Dion no mínimo precisa encestar mais a bola. Defensivamente, torceremos para ele dar o passo adiante que o Irving aparenta ter dado. 

Cleveland enfrenta os Bucks na terça-feira, dia 2, na quinta partida seguida na Quicken Loans Arena. Os Bucks tem sido uma surpresa na temporada, estando uma posição à frente dos Cavs. 

Abaixo, 2 dos lances mais impressionantes da partida:






PS.: A.J Price foi dispensado dos Cavs antes do início da temporada e contratado pelo Pacers, onde tinha 10.5 pts de média em 19.3 minutos. Muito bom. O que ele ganhou com isso?? Foi dispensado novamente. 
Mas não ficou sem emprego muito tempo. Quem o contratou?? Advinha? (Gênio!) Os Cavs!
Bizarro? 
 Não o suficiente se você souber que para recontratar, Cleveland dispensou Will Cherry. Ele mesmo, que tinha jogado com os Cavs na Summer League, foi cortado do elenco e depois chamado de volta após não fazer o time em Toronto. Agora sim, bizarrice total!!

27 de nov de 2014

OBRIGADO, OBRIGADO


Depois de uma semana com 4 derrotas seguidas, essa semana festiva tem sido boa para os Cavaliers. Conseguimos 2 vitórias seguidas. Tudo bem que uma foi contra o pato morto dos Magics, mas a vitória da última quarta-feira foi de celebrar, pois foi exatamente contra o Wizards, que nos impôs a derrota mais preocupante da semana passada.

Vamos a algumas considerações;

* Após 4 derrotas consecutivas, David Blatt apontou para mudanças na formação titular dos Cavs. Sem dia de treinamento, Blatt disse que postergaria a mudança para a quarta-feira, porque não queria mudar sem treinar. Só que após a vitória acachapante contra os Magics, ficou difícil promover a alteração. E a julgar pelos 26 pontos de vantagem contra o Wizards (113x87), dificilmente veremos algo diferente no sábado, contra os Pacers.

*Detalhe, Mike Miller, um dos mais cotados para ser testado na equipe titular nem foi para quadra hoje. Joe Harris foi limitado a 26 segundos no primeiro tempo. Dion Waiters jogou maioria dos seus minutos contra os Magics no garbage time.

* No jogo da Semana passada contra o Wizards, Cavs teve sua pior pontuação da temporada (78pts), chutou para 36%, distribuiu apenas 13 assistências e cometeu 19 Turnovers. Ontem, Cavs arremessou para 51% de aproveitamento, deu 23 assistências e cometeu apenas 10 Turnovers. Que mudança! Mas afinal, que mudança?


*Claro que ausência do Nenê foi sentida. Love(21), James(29) e Varejão(10, 5/5 FG) combinaram para 60 pontos. Os titulares adversários da posição somaram apenas 30. Mas a mudança de agressividade foi bastante significativa. Só para tentar exemplificar, os Cavs bateram 38 lances livres. 17 só do James. Sobre o James, vi menos oba-oba e mais basquete. Você verá, por exemplo, uma super enterrada no vídeo abaixo e poderá reparar que não teve tchauzinho pra torcida, bíceps à mostra, nem pose para câmeras, mas a corrida de volta à defesa, com toda concentração necessária. 

*Entre os baixinhos, ninguém se destacou. Destaque mesmo vai para declaração do John Wall de que ele, Irving e Rose seriam sempre rivais. Escolhas número 1 do Draft, Disse que seria uma longa batalha entre eles, desde que todos joguem e se mantenham saudáveis. A rivalidade é grande mesmo. Apesar de Wall já ter levado seu time aos playoffs, Irving fez o adversário ficar de cara com o muro na seleção americana, para o campeonato mundial, quando Kyrie foi titular da equipe. Irving já foi titular do All Star Game também, sendo eleito MVP nas ocasiões citadas. No jogo de ontem, Wall anotou apenas 6 pts (apenas 3 FG). Irving que também estava discreto na pontuação, converteu algumas bolas no final para finalizar a partida com 18 pts e 5 assistências.

* Beal anotou apenas 10 pontos. Já Waiters ficou com 15, mas ainda 6-17 e alguns arremessos de dar raiva a qualquer cristão. Porém Blatt o defendeu na coletiva de imprensa, dizendo que quase todos os arremessos foram necessários e como ele é um pontuador, sua função saindo do banco é tentar a ce sta mesmo. 

Veja lances da partida:



Cavs só joga agora no sábado, contra os Pacers. Mais um jogo na Q-Arena, diante da torcida fanática de Cleveland.

Por hoje, basta desejar a todos um excelente dia de ações de graça!
Sejam felizes com seus familiares e não deixem de ser gratos a Deus por tudo que vocês conseguiram em mais um ano. Temos muito mais do que precisamos. Vamos parar de murmurar e ser um pouco mais agradecidos. 
Isso serve para nosso time dos Cavs (lembre de anos anteriores), isso serve para a vida!

Até mais, pessoas!

23 de nov de 2014

EMPOLGAÇÃO E QUEDA


Mais uma derrota em casa e dessa vez contra um rival de conferencia que é candidato a título. A vida do "novo Cavs" não está nada fácil nessa temporada.



Após a derrota para os Wizards, muitos torcedores estavam temendo o jogo de hoje, não é por menos, vimos um time limitado na última partida contra um dos times que brigarão pelas primeiras posições nos Playoffs e o Raptors vem fazendo um início de temporada impecável e liderando a conferência. 

O time do Cavs teve um início avassalador. Chegou a abrir 20 a 5 nos primeiros minutos com um aproveitamento acima dos 70% no começo da partida, Varejão e Lebron fazendo jogadas que levantaram a torcida na Q-Arena, Kevin Love acertando arremessos que não estavam caindo nas últimas partidas e Irving matando belas bolas também, mas tudo isso não passou de 7, 8 minutos de empolgação. 

Com a entrada de alguns jogadores do banco, o time começou a cair de ritmo claramente, Waiters acertou 2 bolas seguidas, mas não acrescentou em nada mais para o time. Miller, Thompson e Harris tiveram mais uma partida para se esquecer, com erros terríveis e mostrando o quanto nosso banco é limitado. Do outro lado, o Raptors encaixou a marcação e com uma atuação fora do normal de Lou Willians virou o jogo com um chute de 3 certeiro no estouro do cronometro.

O segundo tempo até começou equilibrado, mas como no primeiro tempo o Cavs não conseguiu manter o jogo equilibrado. Com a marcação confusa e com um ataque muito individualizado, o time foi deixando o Raptors abrir e no fim do 3º quarto o jogo já estava decidido em favor dos Canadenses.

Está claro que a rotação não está funcionando, está claro que a defesa do time tem que melhorar muito, está claro que o time tem limitações no ataque e em várias oportunidades a "jogada" acaba sendo o 1 on 1 sem um mísero corta luz para ajudar no chute. São muitos detalhes que mostram o quanto esse time tem que melhorar e que o nosso treinador David Blatt vai ter muitos pepinos pra descascar durante essa temporada.




Destaques do jogo:

CAVS: Lances Livres: 20-29 (69%), 24 assistências, 18 Turnovers e 46 rebotes.

RAPTORS: Lances Livres: 38-42 (90%), 20 assistências, 8 Turnovers e 34 rebotes.

Cleveland Cavaliers: 

Kevin Love: 23 pontos e 7 rebotes.
Kyrie Irving: 21 pontos e 6 assistências.
Lebron James: 15 pontos e 10 assistências.
Anderson Varejão: 13 pontos e 12 rebotes.

Toronto Raptors:

Lou Willians: 36 pontos (Recorde na carreira).
Kyle Lowry: 23 pontos e 8 assistências.
Demar DeRozan: 20 pontos.

Mais um golpe duro para essa torcida que sofreu muito nos últimos anos com times ruins e resultados fracos. Agora com um time no papel muito bom, temos pressa em ter resultados, assim como James disse nas ultimas entrevistas.
Até quando a torcida terá paciência com os jogadores e com o treinador? Eis a questão.

22 de nov de 2014

NO ESCURO


Mais uma derrota dos Cavs. Mais uma vez os Cavs ficam com recorde negativo na temporada (5-6). O time foi dominado do início ao fim. E faço questão de tecer alguns comentários agora mesmo, ainda no calor da emoção da partida. 
Eu falei emoção? Esquece.

*Lebron James não está feliz em Cleveland. E sua impaciência e sua frustração estão muito evidentes. Andou em quadra por várias vezes na noite passada. Além disso não raro era possível ver o astro com as duas mãos na cintura na defesa, enquanto a bola era movimentada. Mais cedo disse que seu maior desafio seria entender e ter paciência para suportar o processo de formação de um time vencedor. Parece estar chegando no limite. 

*O garrafão dos Cavs está sendo massacrado na defesa. Se é bem verdade que Varejão, Thompson e Love não formam o grupo mais atlético ou capaz de proteger o aro, também é verdade que não precisava passar tanta vergonha. O time é o pior da liga na defesa próximo ao aro. Love é um dos maiores responsáveis, mas não o único. Blatt vai precisar repensar a rotação para o garrafão, inclusive, para nós, Poderia testar mais minutos do Varejão com o Thompson juntos em quadra.  Verdade é que Love transformou o Kevin Serafim em all-star na última partida. 


*Cavs começou a partida contra Wizards como 5th melhor  ataque da liga, com 105.0 pts por jogo, mas foi reduzido a 78 pts contra o time da capital americana, caindo para 10th no quesito. Pior atuação ofensiva desde que James retornou a liga. 36% nos FG e 22.2 nos 3-ptsFG foi um desempenho bizarro para um ataque desorganizado, egoísta e confuso. Para exemplificar, o time deu apenas 13 assistências.

* Foi um time nervoso com a bola na mão. Impaciente, sempre que se viu atrás do placar, bateu insistentemente a bola, ficou plantado e contou com o individualismo. Parecia um time amador ou sem liderança. Nas palavras de Blatt, o time todo foi uma confusão: "Estou preocupado com tudo no momento. Este é o mesmo time que semana passada estava fazendo 120 pts. Estamos jogando como se estivéssemos no escuro".

*Love está sendo um jogador medíocre com os Cavs. Evidentemente todo mundo esperava que seu números diminuíssem por dividir um time com Irving e Lebron. Cavs precisa envolver mais o jogador no seu ataque, sem dúvidas. Como All-Star, poderia ser uma opção ofensiva planejada, não apenas uma bola ocasional. Porém Love não colabora com jogadas bizarras e perdas de bola. 4 TO ontem. 

*Tudo deu tão errado ontem que até Harris, novato sensação ficou zerado no jogo e foi muito mal. O banco dos Cavs, por sinal, passou  todo o primeiro tempo em branco. No fim foram apenas 9 pts de contribuição. Péssimo. Juro que gostaria de ver os minutos do Shawn Marion reduzidos. 

*Nós podemos entender o momento de transição, os ajustes ao jogo dos companheiros, ao sistema ofensivo e defensivo de um novo treinador. O que nós não podemos entender nem perdoar de maneira alguma é a preguiça. Time molenga na NBA, ganhando milhões de dólares, no melhor basquete do mundo e ao lado de 3 dos mais tops da liga é incompreensível, inaceitável, imperdoável.

Apesar de tudo, saibamos que é muito cedo. Com alguns pequenos ajustes este time pode deslanchar e se tornar o contender que todo muito previa antes do início da temporada. 
Entretanto, enfrentar o Toronto hoje pode não ser o desafio ideal para o momento.
Vamos esperar!!
Believeland??

21 de nov de 2014

FALANDO NISSO

Passados 10 jogos dos Cavs na temporada, o time ainda não emplacou como um super time do Leste. Com 5 vitórias e o mesmo número de derrotas, muitos já tentam escolher culpados pelo fracasso. E como tudo com Lebron James ganha uma repercussão absurda, podemos dizer que boa tarde dos amantes da NBA estão falando sobre nosso time. Vamos a algumas considerações rápidas:

* Perder por 2 pontos contra os Spurs é algo normal, mesmo em casa. James declarou não estar preocupado e que gostou da evolução do time. Para quem tinha falado algumas coisas difíceis nas últimas entrevistas é bem animador. E de fato ele deve estar se referido aos avanços na defesa, que apesar de ainda sofrer no garrafão, mostrou que caminha para um acerto mais próximo do ajustável.

*David Blatt por sinal disse que este foi o melhor jogo do Irving defensivamente, limitando Tony Parker a 2-7 FG e apenas 8 pontos. Ninguém contudo falou nada dos 4-5 e 10 pts. do Cory Joseph.

*Ofensivamente o time tem lampejos de brilhantismo, movimentando bem a bola até o momento oportuno para a cesta. Mas contra uma defesa como a dos Spurs, o time não cuidou muito bem da bola. 18 Turnovers custaram caro.

*Quem começou errando muito, mas depois virou a página para uma noite memorável foi o brasileiro Anderson Varejão. Com 23 pts e 11 rebotes, Vareja foi o cestinha dos Cavs na noite. E fez um belo trabalho no mano a mano com Duncan do 2Q em diante. Mas deu um passe no final para James que gerou uma perda de posse de bola importantíssima. 

* Vendo Varejão brilhar no ataque muitos perguntam 'E o Love?' Loe continua procurando seu espaço. Pouco envolvido na partida até o intervalo, só foi ser ofensivo no 3Q, quando os Cavs forçaram a bola nele. Ele foi para cima do Diaw e conseguiu alguma vantagem. Mas Love continua sendo uma no ferro e uma na ferradura. Problema maior foi quando o Spurs resolveu explorar o Diaw para cima do Love. Pivô francês passou por cima do rapaz do amor, comendo ele com farinha (e ketchup). Diaw fez 8-14 no jogo, Love 4-12. 

* Cleveland precisa aprender a usar o Love melhor no esquema ofensivo. E tentar deixar sempre ele em quadra na ausência de Lebron, quando o pivô pode fazer mais seu jogo. 

*Por sinal, Blatt resolveu dar menos minutos para Lebron na partida passada. Mas B;att continua procurando a rotação ideal do elenco. Harris ficou em quadra no 4Q, nada de Waiters ou Marion como SG. Mas garoto não descansou 1s do último período. E Blatt descansou as 3 estrelas ao mesmo tempo no final do 2Q. Levamos 8 pts seguidos e perdemos uma vantagem de 11. 

*Blatt tem sido criticado pelo trabalho em Cleveland. Reclamaram por ele não ter poupado um timeout para o final da partida. Reclamam da defesa, da campanha. Mas precisamos ter paciência. O time está em aprendizado. treinador também. Quando James chegou a Miami a situação foi bastante semelhante. Deu certo por lá, vamos torcer por dar certo aqui também.

*Próxima partida será hoje contra o time da capital americana. Time de muita rivalidade antiga, que foi reacendida na intertemporada. Lembra que Beal disse que considerava ele e Wall o melhor backcourt jovem da NBA e o Waiters respondeu pelo Twitter (Volta, Dion ao twitter!) dizendo que não fazia sentido, que junto com o Irving eles eram melhores. Wall não deixou barato à época e disse que para Dion formar uma dupla melhor com Irving eles precisariam jogar um jogo de playoffs e mais, Dion teria que ser titular. 

*Pois muita gente marcou a data de hoje como um dos jogos mais esperados depois do ocorrido. E como Beal voltou de contusão, deverá ser um jogo cheio de rivalidade. Vejamos qual será o comportamento desses jogadores em quadra!

*E Bingo!!!! Mais uma vez a ESPN transmitirá o jogo dos Cavs. Até lá!

19 de nov de 2014

VIVENDO, JOGANDO, PERDENDO E APRENDENDO


A derrota da última segunda-feira para o Denver, jogando na Q-Arena, foi uma pedra necessária no meio do caminho dos Cavs. Após vencer quatro partidas seguidas na liga, enfrentar um dos últimos colocados do Oeste, time que já tínhamos vencido fora de casa, parecia ideal para iniciar uma série de jogos perto dos torcedores. Mas se revelou em mais uma lição para o time aprender.

Valem algumas considerações rápidas:
* Essa é maior liga de basquete do mundo. O esporte é desenvolvido lá no mais alto nível. Nunca se pode ignorar isso. Não se pode imaginar que você vai vencer uma partida na hora que quiser e de qualquer forma. É preciso jogar de forma responsável e no mais alto nível de competitividade. Não há espaço para subestimar adversários. Lebron James deixou claro que faltou comprometimento da equipe: "Ficamos acomodados após a sequência de 4 vitórias".

* Cleveland teve 4 jogadores com 20+ pontos. James, 22, Irving, Love e Waiters, 20. Mas não se ganha na NBA apenas com ataque e sem respeitar o plano de jogo ofensivo e defensivo. Basquete não se trata apenas de usar seu talento contra um time inteiro o tempo todo. Resultado disso foram apenas 18 assistências, para um time que moveu mal a bola. E um jogo para menos de 100 pontos, mesmo contra uma das piores defesas da liga.

* Cleveland tem 4 de seus importantes jogadores que nunca jogaram em uma franquia vencedora. Irving, Waiters, Thompson e Love nunca foram aos playoffs. Precisam aprender as lições necessárias de um time vencedor. James tem muito a ajudar com isso e tem sido uma voz constante dentro e fora das quadras. Conectar o discurso dele com o do treinador vai ser uma jornada interessante de examinar. Dura missão para o treinador novato.

*Lebron James jogou adoentado a partida desta segunda. Apesar disso, ficou em quadra por 40 minutos. Por vezes, foi batido na defesa. James, Irving e Love estão entre os cinco jogadores da NBA que mais tempo ficaram em quadra até agora. "Isto tem que diminuir" afirmou James, após o treino de hoje. "Obviamente é muito difícil neste momento. Nós estamos nos encaixando, tentando encontrar nosso ritmo. Estamos tentando achar algo que você realmente não pode, não vai querer pular etapas. Mas ao mesmo tempo você precisa ser esperto sobre isto."

* Blatt não está muito acostumado em um campeonato que tenha que usar tanto o banco de reservas. Vai precisar se adaptar. Disse que não via problema com os muitos minutos da sua principal estrela, após a partida contra Atlanta, mas depois das palavras de James, algo mudará. Vai precisar implantar mais rapidamente sua filosofia ao time, uma filosofia vencedora, que compartilhe a bola e defenda com intensidade. Vencer é necessário para aumentar a rotação da equipe. 

Próximo jogo dos Cavs é nesta quarta contra o forte time dos Spurs. Um duelo contra o atual campeão, que já joga não apenas em função das estrelas, mas sob um modelo de jogo fantástico, uma mentalidade que tem sido construída nos últimos 15 anos. Fique ligado, a partida será transmitida pela ESPN.
Se quiser saber mais sobre as transmissões da TV dos jogos dos Cavs, CLIQUE AQUI.

PS: Alguns jogadores estiveram presentes no Jantar de Ações de graças fornecido pela franquia às pessoas envolvidas a um projeto social sobre educação. Dia de Ações de Graça é um dos principais feriados americanos. (Se a gente copia coisas trash como Dia das bruxas, bem como poderíamos adotar comemorar esta data).  


16 de nov de 2014

UMA NOITE PARA A HISTÓRIA


Uma noite de sonho!!! Assim foi a noite de 15/11/2014 para a franquia Cleveland Cavaliers.
O jogo era contra um adversário que vinha de 4 vitórias consecutivas. Mas os Hawks não viram a cor da bola. 127-94

Um jogo para ficar na história!!! Literalmente. Cleveland começou o jogo acertando 9 bolas de 3 pontos no primeiro quarto. 9-9 do perímetro em um único quarto é recorde na NBA. James foi arrasador anotando 11 pontos nos primeiros 4 minutos. Love desta vez começou ligado na partida e junto com Lebron comandou as ações ofensivas da equipe.

A sequência de bolas de longa distância seguiu. Cleveland chegou a 11-11 nos 3-pts. Incrível. Até o intervalo, Cleveland derrubou 13 bolas de 3-pts no total, empatando o recorde da NBA em uma metade de jogo. Até o fim do jogo foram 19 cestas de 3-pts (19-31, 61,3%) chegando ao recorde da franquia. Curioso que até este jogo o Atlanta de Kyle Korver liderava a liga em porcentagem nesse quesito.

Cleveland começou a desgarrar no placar quando Dion Waiters e Joe Harris entraram em quadra. Harris entrou na rotação no lugar de Miller e nos 4:44 segundos que ficou em quadra no 1Q, viu o placar sair de 21-19 para 41-25. Desde a sua entrada em quadra, ele foi aplaudido por causa do desempenho do novato na última sexta. A partid d hoje mereceu mais aplausos. O rookie encestou duas bolas de 3 pts, inclusive uma vencendo a sirene para fazer o time fechar o quarto com 41 pontos.

A vantagem só foi aumentando. E os Cavs chamaram atenção dos amantes do basquete para o potencial arrasador que este time pode desenvolver. A movimentação ofensiva foi fantástica e a bola foi muito bem movimentada. Resultado; fomos ao intervalo vencendo por 71 x 43.

Evidentemente o terceiro quarto começou lento, mas após um pedido de tempo de Blatt o time deslanchou novamente. Mantendo James, Love, Irving em quadra boa parte do quarto, Blatt permitiu deixar o período final apenas para os reservas. Por sinal, todos os jogadores relacionados entraram em quadra e apenas Mike Miller, que jogou apenas 2:23 não pontuou. Ou seja, 12 dos 13 relacionados pontuaram na partida.

Lebron James anotou 32 pontos, 6 rebotes e 7 assistências. Love fez 13 pontos, pegou 6 rebotes e deu 5 assistências. Kyrie Irving conseguiu 20 pontos, deu 5 assistências e chegou ao segundo jogo sem cometer Turnovers, isso em partidas em noites seguidas. Varejão anotou apenas 1 cesta (2pts), mas voltou a chegar a uma dezena de rebotes. Waiters saiu de quadra com plus/minus de +45.

O time realizou 39 assistências no jogo (para 49 cestas), melhor número da temporada. Cinco jogadores chegaram a 5 ou mais assistências (James, Varejão, Irving, Waiters e Love). A última vez que isso tinha acontecido para o time foi em janeiro de 1997. Waiters liderou a noite com 8.

Cleveland chegou a quarta vitória seguida, provavelmente a mais fácil da temporada, deu show para a torcida e trouxe de volta a esperança à Cleveland. E a sequência pode aumentar. Próximo jogo é segunda contra o Denver Nuggets.
Vitória fácil??

Reveja a sequência histórica de bolas de 3-pontos dos Cavs



E um pouco do show de Lebron James e da equipe. Detalhe no toco aos 3:23