1 de jul de 2015

FREE AGENCY - DAY 1 - #LoveWins


A free agency começou naquele ritmo que todo mundo adora. Já nos primeiros minutos (e quando eu digo primeiros é primeiro mesmo) o Monocelha A. Davis já anunciava sua extensão de contrato com a imoral exorbitante quantia de 145 milhões de dólares por 5 anos. E nesse ritmo foram surgindo as principais notícias. Blazers contratou o Al-Farouq Aminu, Nets renovou com Lopez e Young, o Spurs renovaram com o Leonard. Hoje já soubemos que o brasileiro Tiago Splitter vai jogar em Atlanta e o Demarre Carroll vai jogar pelo Toronto Raptors. Maioria dos grandes nomes foram renovando com suas equipes, com contratos mais vantajosos para os atletas. Dragic renovou com o Heat; Dunleavy, que chegou a ser considerado um alvo do Cavs, renovou com o Bulls; Green com o Spurs, Lillard com o Blazers. Isso apenas no primeiro dia!!

E um dos grandes nomes do mercado também resolveu renovar com seu time: Kevin Love anunciou por meio de uma carta ao The Players Tribune que vai voltar para Cleveland!!!! A notícia bombou na internet e o site ficou fora do ar, porque o servidor não suportou a quantidade de acessos. 

Com o título de negócios incompletos, Love disse que nunca quis jogar tanto um jogo como o jogo 1 das Finais, que sempre sonhou em jogar as Finais da NBA e que queria muito ajudar seus companheiros a vencer aquele jogo e que sentia muito orgulho deles, por todo sangue e esforço derramado em quadra. Love brincou com aquela foto da piscina que circulou na internet na terça, dizendo que a piscina pode ser um bom lugar para reuniões. No fim disse que Cleveland era seu lugar, que todos queriam vencer e que havia negócios não terminados e agora era a hora de voltar ao trabalho. 

O contrato de Love foi extremamente lucrativo para o atleta. Cerca de 110 milhões de dólares por 5 anos.  Para o time, parece um prejuízo, mas com este contrato longo, diante dos valores que prometem ser cada vez mais astronômicos, não deixa de ser bom economicamente para a franquia. E para o time é sensacional. Por mais 5 anos, teremos a oportunidade de ter Love, LeBron e Irving em quadra. Simplesmente espetacular, para fazer você e eu esquecermos completamente do sofrimento dos últimos anos. 

Minutos depois do anúncio de Love, circulou a notícia sobre a permanência de Tristan Thompson no elenco. O contrato seria de 80 milhões por 5 anos. Ou seja, Cleveland gatando aqui 190 milhões com dois jogadores da mesma posição, mas considerando a versatilidade de Thompson jogar como C. Eu continuo achando muito dinheiro por um jogador com muitas limitações, mas Cleveland precisava (e iria mesmo por tudo aquilo que já falamos sobre LeBron e etc) fazer um alto investimento. 

E no fim do dia, Cleveland ainda anunciou ter em entrado em acordo com Iman Shumpert, para um contrato de 4 anos, por 40 milhões de dólares, sendo o último ano uma player option. É um belo aumento de salário para Shumpert também. Definitivamente Cleveland fazendo tudo que pode manter para manter o vitorioso time da temporada.  Não me pergunte o que Griffin tem feito para Gilbert liberar os cofres, mas seja lá o que for, ele tem feito muito bem. 

Por enquanto, Cleveland tem garantido ao seu elenco LeBron James (a gente sabe que ele vai renovar), Kyrie Irving, Iman Shumpert, Timofey Mozgov, Kevin Love e Tristan Thompson. Ou seja, o time titular dos Cavs já foi garantido, bem como um dos seus principais reservas. Elenco conta ainda com Anderson Varejão, Joe Harris e Mike Miller, totalizando 9 peças. Falta saber ainda sobre JR Smith e Dellavedova, além de James Jones.

Ainda tem muita Free Agency para nos endoidar. Fora dos Cavs inclusive, principalmente no que diz respeito ao contrato do Aldridge. Cavs, que foi associado ao nome de Tyshaun Prince, ainda tem que fechar seu elenco e eu ainda espero um bom negócio com o contrato do Haywood. 

O primeiro dia ainda não terminou, mas já foi um dia bastante movimentado. Ainda bem que, aconteça o que acontecer, #LoveWins #ClevelandWins. 

30 de jun de 2015

FREE AGENCY: QUE COMECE O CAOS!!!!



E nesta madrugada vai começar a Free Agency, período em que os times poderão negociar com os atletas para convencê-los a jogar por sua franquia. Aquele período em que Tweetters, blogueiros e o mundo da NBA fica de plantão, esperando cada notícia, espalhando cada boato sobre renovações e contratações. É o período de divórcio e suspeitas de que você está fazendo coisa errada diante do computador.  A free Agency tem muitos nomes de peso, como LaMarcus Aldridge, Dwyane Wade, Kevin Love (Sim, ele mesmo), Goran Dragic, Monta Ellis, Paul Millsap, Marc Gasol entre outros. Até o LeBron estará na Free Agency. 
É importante aqui saber quanto cada time pode gastar, quanto espaço eles tem em sua folha salarial para contratar jogadores. As regras são complicadas, mas dá para entender o básico com um pouco de pesquisa. Sugiro olhar esse link pra ver a situação de cada equipe.

Para os Cavs, o objetivo, como já falei nesse post, é a renovação. A Free Agency do ano assado nos deu a melhor notícia do mundo: a volta de LeBron James. Esse ano, o que esperar?

Antes de falar, vamos a algumas notícias já importantes:

*Mike Miller exerceu sua Player Option e vai continua com os Cavs em 2015/2016. Seu salário será de cerca de 2,8 milhões de dólares no ano. Aqui a decisão de permanecer com os Cavs seria exclusivamente do jogador. Como o nome já diz, uma opção do atleta, que assinou contrato por 2 anos, com essa opção. Ano passado o salário dele foi de cerca de 2,7 milhões de doletas. Nem adianta reclamar o time pagar esse salário num jogador que não é muito utilizado, porque isso foi decidido ano passado. Miller ao menos é um jogador de grupo, experiente e bem humorado. A parte ruim e que ocupa uma vaga no elenco. Mas bem que o Blatt poderia usá-lo melhor esse ano.


*Cleveland declarou que irá extender Qualifiyng Offers para Dellavedova, Tristan Thompson e Iman Shumpert. Esses jogadores estão numa situação contratual em que a franquia pode oferecer uma oferta qualificadora se eles receberem uma proposta de qualquer time. A preferência será dos Cavs. Assim, se qualquer time fizer uma proposta salarial mais interessante, Cleveland tem o direito de cobrir essas ofertas e permanecer com os atletas. E assim pretende fazer. É uma boa situação para os jogadores, que poderão ganhar bons salários. Se eles não receberem propostas, seus salários ficam na casa dos 1,2 milhões para o Delly, 4 Milhões para Shumpert e 7 milhões para Thompson. Esses valores podem dobrar, dependendo do ânimo dos outros clubes em ficar com cada um. 

*Mozgov já renovou com o time. A situação dele já foi explicada no Post com essa notícia. A escolha era do clube e Cleveland não deixou passar um bom jogador com um bom contrato para a equipe. É a chamada Team Option.

*Sobre o JR, ele não informou nada ao time até a data limite, o que imediatamente o tornou Free Agent. Ele opted out. Ou seja, tinha a opção de ficar com os Cavs nos termos do contrato anterior ou sair do contrato, se tornar um free agent e testar o mercado ou fazer um novo contrato com os Cavs. Especula-se que ele, que ganhou 6,5 milhões no seu último ano, esteja pedindo 8 milhões e um contrato de 3 anos. É a situação mais obscura hoje. O melhor para Cleveland é ficar com o jogador, pois o time não teria como pegar outro atleta nesse valor.  Aqui fica uma incógnita sobre o que acontecerá.

*Já na situação do LeBron James, tudo é mais simples. Ele também vai fazer o opt out, ou seja, vai sair de seu contrato atual com os Cavs. Mas não para testar o mercado, e sim para fazer um novo contrato mais lucrativo para James. Provavelmente será um novo contrato de 2 anos, com a player option no segundo ano (que James usará de novo, até um super contrato em 2017). James, o melhor jogador de basquete da atualidade, já deixou o lado financeiro de lado para ganhar títulos, mas veio para Cleveland crendo ser merecedor de ganhar o maior salário possível. O time já sabia disso, não há do que reclamar. Ele nos devolve muito mais que qualquer outro atleta poderia devolver. 

*A situação do Love é semelhante. Bem, assim esperamos. Ele entra na free agency, mas deve renovar com o time. Especula-se em um contrato de 5 anos, por cerca de 100 milhões de dólares no total, sendo 19 milhões no primeiro ano. É muita grana, você vai pensar. Mas também é muito tempo, você deve ponderar, por um all-star. Vale lembrar que quando Irving, Lebron e Love jogaram, Cleveland foi arrasador. 

O pessoal do @CavsBrasil tuitou algumas escolhas que eles fizeram e são dignas de nota, levando em consideração o pouco que os Cavs tem para investir, visto que deve contar com Love na próxima temporada.


Umas duas vagas do elenco devem vir com jogadores advindos do draft ou da Summer League, que tem aqueles contratos bem baratinhos, na casa dos 500 mil por ano.  De qualquer forma, a tendência é que Cleveland acabe pagando a Luxury Tax mais uma vez. O time ainda pode ser alvo de muita história na Free Agency, devido ao contrato do Haywood.

Vale a pena reler "Os desafios de David Griffin"

Abraços!

27 de jun de 2015

THE SUMMER LEAGUE CAVS!


A Samsung NBA Summer League 2015 começa no próximo dia 10 de julho, em Las Vegas. Além de podermos ver pela primeira vez Towns no Wolves, D'Angelo no Lakers, Okafor no Sixers, Porzingis no Knicks, Mudiay no Nuggets e etc; a SL nos proporcionará uma revanche contra o Golden State Warriors.

Cleveland vs. Golden State acontece no dia de abertura da competição, na sexta, às 21h30. No dia seguinte, enfrentamos Brooklyn, às 21h. Na segunda-feira, dia 13, o Cavs joga contra Milwaukee, bem mais cedo, às 15h. Depois dessa "fase de grupos", os playoffs começam.

Serão 24 times na SL de Vegas; sendo 14 times que estiveram nos playoffs deste ano, 9 times que foram lottery picks no Draft, e uma seleção da NBA D-League. É garantido que cada time jogará pelo menos 5 vezes. 

Além dos jogadores que foram draftados pelo Cavs no Draft desse ano (Rakeem Christmas, Sir'Dominic Pointer e Cedi Osman), o Cavs também já confirmou presença de John Shurna, Keifer Sykes, Trevor Lacey, Quinn Cook, e Joe Harris - que já faz parte do elenco principal do Cavaliers. O assistant Coach Bret Brielmaier comandará o time lá em Vegas.


A Summer League é uma ótima oportunidade de vermos as escolhas do Cavs em ação e de, obviamente, matar um pouco da saudade da NBA. 

Valeu, galera. Abraço! #GoCavs #CavsBrasil

26 de jun de 2015

DRAFT RACIONAL


Após estar no Top-4 dos últimos 4 Drafts, Cleveland foi para a noite do Draft desta quinta-feira apenas com a #24.
Ainda assim o Draft gerava expectativas com tudo que poderia acontecer. Muito se falava que Cleveland poderia trocar o contrato do Brendan Haywood e sua escolha #24 por alguma coisa interessante. Mas havia ainda uma opção de um bom PG ou de um bom SF. A medida que os nomes eram selecionados durante  Draft, analisávamos quem sobrava e quem poderia ainda ser escolhido. Alguns bons nomes foram sobrando, o que aumentava a expectativa. Porém, as seleções de 18 a 23 foram um tiro em cada nome que se especulava nas redes sociais.

Quando Cleveland ficou "On the Clock", nomes como RJ Hunter e Tyus Jones estavam disponíveis. O escolhido foi o armados de Duke, Tyus Jones. Quando muitos ainda comemoravam, contudo, foi anunciada a troca com Minnesota. Jones foi para o Timberwolves e Cleveland recebia a #31 e #36, além de uma escolha de segunda rodada em 2019.

É a terceira escolha de Draft seguida dos Cavs que vai parar nos Timberwolves (Bennett e Wiggins).
Com a troca, Cleveland liberou o Cap em contratos não garantidos, que são da segunda rodada do Draft. Boa movimentação. Claro que com 3 escolhas de segunda rodada, imaginávamos que Cleveland faria outra troca ainda. Mas não aconteceu.

Na escolha #31, veio a opção por um prospecto internacional. Cedi Osman. Falamos sobre ele no post anterior. Jogador turco, muito novo, mas com potencial. Osman pretende ficar na Europa, o que faz muito sentido para os Cavs, que não gasta dinheiro, vê o jogador evoluir e libera uma vaga no elenco para a próxima temporada.
Osman foi medalha de ouro no europeu sub-20, quando foi nomeado MVP. Ele já era visto como uma promessa desde muito mais novo. Em 2011 foi convidado para o Jordan Brand Classic International, junto com o Wiggins, por exemplo, onde anotou 14 pontos em 27 minutos. Tem muito a aprimorar no controle de bola e no seu arremesso.

Na escolha #36, Cleveland escolheu Rakeem Christmas. Não é Hakeem, e sim é Christmas. Um Senior de Syracuse. Com 2,06  e envergadura enorme tem a versatilidade de jogar em 2 posições. Capaz de proteger o aro e finalizar perto da cesta. Foi eleito jogador de defesa do ano de sua conferência. Obteve médias de 17.5 pontos e 9 rebotes e 2.5 tocos em 34 minutos. É um jogador que pode achar um espaço no elenco desde já. Sabe aquela vaga que era do Haywood, ou mesmo a do Perkins? Pois bem, O Sr. Natal vai ser testado, com razoáveis condições de ficar com ela.
Cleveland ainda tinha a esquecida escolha #53. E aqui Cleveland escolheu o Sir'Dominic (é esse mesmo o nome) Pointer, que nem estava cotado para ser draftado, foi escolhido por sua capacidade defensiva (também foi co-eleito jogador defensivo do ano de sua conferência). Apesar do nome e da altura (6-5), Pointer não é point guard, mas jogou de SF. Obteve médias de 13.9 pontos, 1.9 roubos de bolas e 2.5 tocos (mesma média de tocos que nosso amigo grandalhão Xmas) em 32 minutos. Ainda recebeu o prêmio de jogador que mais evoluiu e se tornou terceiro na história da St John's em tocos e quinto em roubos de bola.

A Summer League será a oportunidade de conhecer esses jogadores melhor. Começa em 10 de julho.
No fim, dependendo das movimentações, vamos ver qual deles serão de fato um jogador dos Cavaliers.

Após o Draft, griffin concedeu uma entrevista. Falou do aspecto positivo de cada jogador, mas deixou claro que até o final de julho haverá muita movimentação. Falou da ética e caráter do Osman, da evolução do Christmas e do atleticismo de Pointer.

Falou ainda de outras coisas importantes: disse que está engajado em trazer o Love para o próximo ano e não está preocupado com isso, porque Love demonstrou interesse em ficar. Falou que Lebron está engajado na offseason dos Cavs, sendo consultado constantemente, mas ainda não falou nada de contrato com James. Falou que JR Smith será free agent em primeiro de julho. Falou que quer o JR de volta, se for na situação certa para o time.

No geral, foi um draft bem realizado pelos Cavs. Nada que empolgue os torcedores, mas deu a flexibilidade que o time precisa para a free agency, pensando também na Luxury Tax e no dinheiro do patrão. Aprovado!

PS: Larry Nance Jr, filho do craque de bola cuja camisa 22 está aposentada pelos Cavs, foi selecionado na primeira rodada pelos Lakers. Nance Jr era cotada para o meio da segunda rodada.

25 de jun de 2015

OPINIÃO DOS ESPECIALISTAS - DRAFT EDITION



Com o Draft chegando, nós, mais uma vez, reunimos nossos especialistas para dar palpites na escolha #24 do Cleveland Cavaliers, no Draft de 2015. Essa escolha da primeira rodada já foi "colocada no Mercado" pelo Cavs. Além da pick, o Cavs colocou Brendan Haywood no trade block. Cleveland tem uma boa moeda de troca; uma escolha de primeira rodada e um contrato não-garantido. Alguns times, com certeza, ficarão interessados.

Mas, até agora, nada aconteceu. Então vamos aos palpites, que serão separados de acordo com as nossas necessidades e o que se espera que Cleveland faça. Como o contrato de um rookie da parte final da primeira rodada do Draft gira em torno de 1 milhão de dólares, mas isso pode significar cerca de 5 milhões, considerando a luxury tax, é provável que os Cavs não estejam muito interessados nessa escolha 24 ou queiram selecionar um jogador internacional, que pode liberar dinheiro e uma vaga no elenco. Além disso, Cleveland pode escolher um G, seja para back-up do Irving, seja para melhorar as alas, ou um reserva para Lebron James, peça faltante no atual elenco.

1 - Para a opção de G, quem você selecionaria neste Draft, dentre as opções que devem estar disponíveis?

Arthur (@Le_BR_on): Se eu fosse David Griffin, escolheria o SG de Georgia State, RJ Hunter. Bom chutador, bom na defesa, sai bem no contra-ataque, tem uma boa visão de jogo e etc. Pode ser muito útil pro Cavs. Hunter passaria um tempo em Canton Charge para pegar experiência, e 'puxar um ferro' porque ele ainda não tem aquele padrão físico da NBA. Além de que, com James Jones, Mike Miller, JR Smith, Shumpert possivelmente no elenco, ele tem tudo pra aprender com alguns dos melhores shooters da Liga.

           


Marcelo (@Cavsbrasil): Minha primeira opção seria Tyus Jones, olhando a posição da escolha do Cavs, ele é o melhor PG que pode estar disponível naquele momento. Outras boas opções seriam Delon Wright e Jerian Grant.

Guga Paz (@CavaliersBrasil): Minha opção aqui seria o Delon Wright. Armador em Utah, mostrou muita capacidade de bater para dentro e atacar o aro, exatamente o que não temos em nosso time reserva. Apesar de crer que Cavs vai procurar alguém com experiência para backup de Irving, se fosse escolher um armador, essa seria minha escolha. Alto para a posição, é capaz de defender jogadores da posição 2, e ajudar com rebotes. Apesar do instinto ofensivo, é bom defensor, deixando toda energia na quadra. Seu ponto fraco é seu arremesso, mas já vi muito armador se criando na liga, com chute ruim. Como já tem 23 anos, não tem potencial de evolução, mas para um Cavs que precisa de jogadores mais maduros, a idade pode não ser um problema.


2 - Para a opção de reserva de LeBron James, quem você selecionaria neste Draft, dentre as opções que devem estar disponíveis?

Arthur: Rondae Hollis-Jefferson é um ótimo nome para essa posição. RHJ é muito bom na defesa, ótimo no contra-ataque, e pode ser um bom backup pro LBJ. O único defeito em draftá-lo é o espaçamento. Ele não tem range, como dizem. Ele é bom atacando o aro, mas não tem um bom chute longo.

Marcelo: Tem muitos nomes. Rondae Hollis Jefferson é um que me agrada, apesar de limitado ofensivamente, sua defesa é considerada muito boa. Ele é comparado a Tony Allen. Kelly Oubre, Justin Anderson e RJ Hunter são outros bons nomes. Hunter é mais SG do que SF, mas é um nome bastante interessante.

Guga: Justin Anderson. Jogador de muito atleticismo, apesar de não muito alto, tem grande envergadura, é forte e tem boa impulsão. Potencial de um bom jogador para ter no elenco e jogar seus 10, 15 minutos, exatamente o que precisamos para a reserva de Lebron James. Seu problema sempre foi o arremesso ruim, mas melhorou sua mecânica de arremesso e mudou consideravelmente seu aproveitamento. Se estiver disponível, é uma chance que os Cavs não pode deixar passar.



3 - Entre os prospectos internacionais, qual seria sua escolha, considerando a nossa colocação no Draft?

Arthur: O pivô Nikola Milutinov! É um 7-footer habilidoso, e que pode ser muito útil ofensivamente. Claro, precisa melhorar no chute longo e no jogo de costas pra cesta, mas ele é ótimo no P&R. Ele pode se tornar um bom role player na Liga. Por ser muito magro para essa posição, ele ainda não é um rim protector de elite. Mas ele só deve vir para NBA na temporada '16-17, então ele ainda tem um ano para desenvolver o lado físico. E, a parte que mais interessa ao Cavs: Ele deve passar o próximo ano na Europa, ou seja, o Cavs não precisa se preocupar com ele ocupando espaço no CAP. E, quando ele vier pra Liga, o contrato do Mozgov estará acabando, e o do Varejão perto de acabar - team option. Então, draftando o Milutinov, Cleveland tem um projeto que pode dar ótimos frutos em duas temporadas... e que pode tirar o time do sufoco agora (CAP space).


          

Marcelo: Acho que Cavs deve ir por esse caminho, ou trocar sua escolha. Os melhores nomes internacionais nesse ponto do draft são os pivôs Nikola Milutinov e o espanhol Guillermo Hernangomez.

Guga: Bem aqui eu não seria convencional. Se é para apostar em jogador internacional sem querer que ele ocupe vaga no time nem entre nas contas da Luxury Tax, eu faria uma grande aposta. Escolheria o Cedi Osman, jovem ala do Anadolu Efes, de apenas 19 anos e que já declarou que vai ficar na Europa por mais 2 anos. Ele liderou a equipe turca à medalha de ouro no Europeu sub-20, sendo MVP do campeonato. Parece ter bom QI de basquete, é alto e com bom corpo, mostra energia e capacidade defensivas e tem velocidade para contra-ataque. Curiosamente, mais um que cito que precisa desenvolver seu arremesso. Não tem bom manejo de bola e sofre no 1x1. Mas tem potencial de evolução enorme. Aposta para o futuro em que alguém que demonstra muita paixão pelo jogo, que deixa tudo em quadra e que, pela disposição, pode crescer no esporte.


Abraços !!!


23 de jun de 2015

DESAFIOS DE DAVID GRIFFIN


David Griffin, GM dos Cavs, vai enfrentar outro período de trabalho complicado. Desde que chegou aos Cavs, Griffin vem se mostrando um ousado General Manager e tem realizado constantes e importantes negócios para melhorar o elenco da equipe. 
Desde sua chagada, substituindo o lento Chris Grant, David Griffin não pára. Chegou trazendo Spencer Hawes, cuidou da extensão de contrato do Irving, tomou a rápida e complicada decisão de demitir o treinador, bem como a lenta e igualmente complicada decisão de escolher outro. Logo se viu com a missão de montar um elenco capaz de dar a Lebron James um time vitorioso. Teria que transformar um time 4 vezes de sorteio de draft em um candidato ao título. Fez das tripas coração, movimentando quem fosse possível para realizar o trabalho. Reformulou completamente o time, tendo que se desfazer de Jarret Jack, Tyler Zeller e muitos outros que sairam ano passado (Karasev, CJ Miles, Luol Deng, Alonzo Gee etc).  Escrevi um texto sobre o belo trabalho que fez. Leia AQUI: TRABALHADOR. 

Griffin ainda fez a melhor escolha do Draft, Wiggins, e não teve medo das críticas ao trocá-la por Kevin Love, na perspectiva de ver rapidamente o resultado do trabalho. Montou um Big-3, digno de vencer a NBA. E quando o time desandou no meio da temporada, bancou o treinador no cargo e fez a mais importante movimentação do time, liberando o Waiters para OKC e ainda recebendo Shumpert, JR Smith do NYK. Logo em seguida adicionou o pivô Mozgov e o time mudou completamente, se tornando um dos mais fortes da liga, chegando às finais, mesmo com as lesões. 


Mas, para a próxima temporada, Griffin tem algumas novas batalhas. Antes de falar sobre elas, vale a pena ter em mente que fomos vice-campeões da NBA, apesar de 3 importantes desfalques no elenco. Então não deveríamos esperar muitas mudanças. Com campanha tão bem sucedida, devemos buscar mais a continuidade do que as mudanças, afinal, tivemos um time, no geral, vencedor. 
Nesse diapasão, Griffin já tomou uma importante decisão. manterá o treinador Blatt, apesar de todas as críticas de que Lebron não o respeitava. 

Eis então o primeiro grande desafio de Griffin: a continuidade. 

Griffin tem pela frente dois grandes problemas relacionados ao elenco. 1- O problema Kevin Love. Love tem a opção de escolher ficar nos Cavs, com um salário em torno dos 17 milhões de dólares. A decisão é do jogador várias vezes all-Star, mas que sofreu para encontrar um lugar de destaque no time. Criticado pela fraca defesa e muitas vezes limitado a um atirador de 3-pontos no sistema ofensivo do time, Love poderia querer sair e ir para um grande centro onde brilharia mais. Por outro lado, foi em Cleveland que Love participou dos playoffs pela primeira vez na carreira. O trabalho d Griffin é convencer o jogador a ficar com um salário que não complique ainda mais os Cavs com a folha salarial. Deverá conseguir.

2-  O Problema Tristan Thompson. Thompson recusou uma extensão de contrato oferecida por Griffin no valor de 52 milhões em 4 anos (13 milhões anuais). Thompson foi um das principais peças do garrafão dos Cavs na temporada. Ele não sofre com lesões, não perdendo 1 jogo sequer das últimas temporadas, é um excelente reboteiro, principalmente na tábua ofensiva.  Mas veja bem, 13 milhões por ano, seria de ótimo  (excelente, maravilhoso) tamanho. Agora Griffin se vê na difícil missão de renovar com o atleta, dentro das limitações da folha que pode ter 3 super estrelas, a um valor exorbitante. O fator agravante aqui é que Thompson tem o mesmo agente de Lebron James e James já declarou que Thompson deveria jogar nos Cavs a carreira toda. Lebron James quer que Thompson fique. A bronca agora sobrou para David Griffin. 

Além do Love, outro jogador que tem a opção de escolha é o JR Smith. Seu contrato seria na casa dos 6,4 milhões de dólares. Este porém não tenho dúvidas de que vai continuar sem forçar muito pelo salário. Mike Miller está em situação semelhante, mas com o contrato girando em torno de 2,8 milhões. Os dois, porém, excepcionalmente podem seu usados por Griffin para liberar espaço na folha. 

No que diz respeito a escolha do time, Cleveland já tornou oficial que exercerá sua opção de ficar com o russo por mais um ano, conforme anunciamos abaixo. Griffin não perdeu tempo e obviamente não deixaria um contrato tão bom passar batido assim. 

Cleveland poderá ainda fazer ofertas a Iman Shumpert e Dellavedova. São jogadores de baixo custo, cerca de 3 e 1,5 milhões respectivamente, que devolvem muita defesa e força ao elenco. Shumpert pode recusar uma oferta mais baixa, pela temporada nos Cavs, tem melhor valor no mercado, mas as Finais podem ter estragado suas aspirações de alto valor no mercado e Griffin poderá se aproveitar disso. Por fim, ainda há o "outro amigo do Lebron", James Jones, que mostrou serviço e foi muito usado por Blatt na última temporada, mas não tem contrato garantido.



Griffin ainda terá que enfrentar a noite do Draft, em 2 dias, com os Cavs possuindo apenas a 24a escolha.  Poderia ser uma noite sem muitas expectativas, mas o trabalho de Griffin se intensifica não pela sua escolha de Draft, mas pelo fator Brendan Haywood.
Haywod tem um contrato para o próximo ano na casa dos 10 milhões de dólares, de opção do time, o que o torna uma excelente moeda de troca, pois o time que o receber pode imediatamente dispensá-lo e abrir espaço na sua folha salarial. 
Cavs pode usar essa moeda já na quinta-feira, na noite do Draft, associando a sua escolha de primeira rodada para conseguir alguma coisa boa no mercado. 
A saída de Haywood economiza dos cofres da franquia cerca de 30 milhões de dólares em pagamentos da folha e taxas. Ele deve ser usado em trocas. 
Claro que essas troca pode ser no meio da próxima temporada, mas pelo histórico de trabalho de Griffin, a gente espera que ele consiga economizar desde já o dinheiro do patrão e conseguir alguma coisa boa em troca, como uma trade exception ou jogadores para compor o elenco. 

Griffin enfrenta ainda a difícil missão de oferecer um boa opção de banco para a estrela Kyrie Irving. Irving é um jogador fenomenal, mas com um longo histórico de lesões. Poupá-lo durante a temporada regular é uma tarefa árdua. E passa pela aquisição de um bom reserva. Claro que nesse momento, todos pensamos em algum veterano, com aquele salário mais baixo, porém com a condição de conduzir bem o time nos momentos cruciais, oferecendo a necessária experiência para enfrentá-los. 
A Free Agency terá suas opções, mas as trocas podem ser também o meio de aquisição.  Na FA temos nomes como: Goran Dragic(fora de nossa realidade financeira), Rajon Rondo (citei por citar), Jeremy Lin (idem, mas salário pode baixar muito nessa FA), Mo Williams (que muitos já falam que poderia voltar pra Cleveland), Cory Joseph (Restrito), Nate Robinson, Beno Udrih (player option), JJ Barea (bom nome) e até o Marcelinho Huertas, entre outras opções, como o Aaron Brooks.  

Um reserva para Lebron James é outra missão complicada. James e jogador para muitos minutos de quadra, mas precisará ser mais poupado também. Alguém para 15 minutos de quadra, na Free Agency é muito complicado, pois a maioria é caro, ou não deve deixar seu atual time ou não vai querer passar tanto tempo no banco. Com certeza é mais simples achar esse jogador no Draft ou em trocas. Griffins terá que rebolar. Mas vamos falar algumas opções da FA: DeMarre Carroll. (seu valor cresceu muito no mercado, não deve ser pro bico dos Cavs, além de querer ficar nos Hawks.), Paul Pierce (achará algum time em que tenha mais minutos e recebe mais dinheiro), Alonzo Gee (cairia como uma luva, pelo baixo valor, mas muitos fã ainda tremem de nervosos ao ver Gee com a camisa dos Cavs), Richard Jeffersson, entre outros. 

Ainda é bom prestar atenção em jogadores que estão sendo oferecidos no mercado e também nas superestrelas que vão testar o mercado. Griffin deixou claro na NBA que seu telefone pode tocar à vontade. Ele vai ouvir cada proposta para fazer o melhor negócio. Por isso, nunca desprezemos os Cavs em qualquer negócio. 


Jogadores que podem ser envolvidos por seu times em negociações: Matt Barnes, dos Hornets (sim Hornets!), DeMacus Cousins, envolvidos em vários rumores, devendo abandonar os Kings nesta temporada mesmo. (Se é pra pagar cerca de 15 milhões no Thompson, também poderíamos pagar no Cousins, certo?), Anthony Morrow e Jeremy Lamb, de OKC, estão sendo oferecidos como tomate na feira. Eric Bladsoe, dos Suns, que também está sendo oferecido, com seu alto salário. (bom jogador, mas caro e Suns deve conseguir algo melhor do que os Cavs tem a oferecer).Vince Carter, Jeff Green e Courtney Lee dos Grizzlies (time de Memphis poderá ter que fazer sacrifícios para manter Gasol, Cavs pode mirar em 1 ou 2 desses jogadores); Jarret Jack, dos Nets. (Não faria muito sentido receber de volta seu alto salário, mas precisa ser citado. Nets podem envolvê-lo em troca para limpar a folha. Diferente de muitos, gostaria da sua volta.);  Dwyane Wade.

O caso do Wade é um caso a parte. Já falamos nesse post, o porquê dos rumores de Wade nos Cavs. Wade é uma superestrela e se referiu ao Miami no passado e seu nome passou a ser envolvido com Cavs e Lakers. Como super amigo do Lebron, com quem jogou 4 finais, talvez tenhamos preferência. Sua presença em Cleveland é improvável, mas dependendo de quem fique ou não no time nunca podemos descartar nada, tendo Griffin com GM.
LaMarcus Aldrige é outra estrela que testará o mercado. Mais uma vez, dependendo de quem fique ou não no time, sua presença seria muito bem-vinda. Deverá ser um dos jogadores mais disputados do mercado. E mais barato ainda, seria o Paul Millsap, que também é agente livre irrestrito, mas deve ficar em Atlanta. Amare Stoudemire também é irrestrito e seu valor como veterano deve despencar, ao final desse inacreditável salário que possuía. 

Griffin ainda tem que manter um olho no exterior e outro na Summer League, que acontecerá em julho. Bons talentos sempre podem aparecer. 

Há muitas variáveis possíveis. Griffin pode, por exemplo, querer mudar até as alas da equipe, e pode fazer isso, pois JR tem contrato alto e Shumpert vem sofrendo com lesões. Vai acontecer? Provavelmente não, pois novamente batemos na tecla da continuidade, mas só para vocês entenderem como são muitas decisões difíceis e importantes a serem tomadas. 
Eu, porém, continuo acreditando no trabalho dele e tenho certeza de que ele fará o melhor possível para conseguir o melhor para a equipe. 
Believeland!

CLEVELAND RENOVA COM MOZGOV


O time dos Cavs exerceu sua Team Option e vai contar com o russo Timofey Mozgov por mais um ano no seu elenco. 
A opção de renovação do contrato era da equipe (Team Option) e não do jogador. Assim a franquia não perdeu tempo e deixou claro que vai contar com o jogador na temporada do próximo ano, afinal o custo será baixíssimo. Apenas 5 milhões por um pivô é uma bagatela na NBA atual. Para você ter uma ideia, o Varejão ganha mais de 9 e o Tristan Thompson já recusou 13 milhões por ano. 

Mozgov chegou nos Cavs em janeiro, logo após a troca de Waiters. Ele resolveu parte dos problemas de garrafão que a equipe tinha. Se você puxar na memória, vai lembrar que todo mundo reclamava que o garrafão dos Cavs era uma mãe, que precisávamos de alguém para proteger o aro. 
Esse homem foi o Mozgov. Claro que a mudança no sistema defensivo ajudou bastante no problema, mas Mozgov foi peça fundamental na mudança de rumo da temporada. 

Em Cleveland, durante a temporada regular, Mozgov jogou 46 partidas, 45 como titular, obtendo médias de 10.6 pontos, e 6.9 rebotes e 1.2 tocos. Nos 20 jogos de playoffs que o time fez esse ano, sua média de tocos aumentou para 1.8. 

É uma notícia que já era esperada, mas não deixa de ser uma excelente notícia para os Cavs. Bom jogador, a um excelente custo-benefício.